Finanças e Banco de Portugal validaram vendas de imóveis do Novo Banco

  • ECO
  • 1 Agosto 2020

O Fundo de Resolução terá validado as operações até março, opondo-se apenas a 12% das 194 transações propostas pela instituição, tendo em metade das restantes recomendado alterações às condições.

A venda das imóveis pelo Novo Banco a “preço de saldo” terá tido o aval das Finanças e do Banco de Portugal, avança o Expresso (acesso pago) este sábado. Segundo o semanário, o Fundo de Resolução validou as operações até março, opondo-se apenas a 12% das 194 transações propostas pela instituição, tendo em metade das restantes recomendado alterações às condições.

O jornal explica que no caso dos dois pacotes de vendas de imóveis, o Fundo de Resolução aprovou os termos e as condições da transação, tendo-se pronunciado, ainda que apenas uma parcela dos ativos (cerca de 20%) estivesse sob o mecanismo que arrisca 3,89 mil milhões de euros.

A Comissão Diretiva do Fundo de Resolução é presidida pelo vice-governador do Banco de Portugal, e inclui ainda um membro nomeado pelo Ministério das Finanças e outro em comum acordo entre o ministro e o governador do banco central. “Quando os adquirentes dos ativos são fundos de investimento ou fundos de private equity, o que se procura apurar é se o fundo em causa é um adquirente credível, nomeadamente tendo em conta as suas credenciais e o seu historial”, respondeu o Banco de Portugal ao semanário.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Finanças e Banco de Portugal validaram vendas de imóveis do Novo Banco

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião