Nas notícias lá fora: HSBC, TikTok e 7-Eleven

  • ECO
  • 3 Agosto 2020

HSBC e Société Générale com lucros comprometidos devido à pandemia de Covid-19 e Microsoft afinal continua em discussões para compra da filial da TikTok nos EUA.

HSBC e Société Générale veem os lucros comprometidos devido à pandemia. Já a Microsoft afinal continua em discussões para compra da filial da TikTok nos EUA. Ainda na áreas dos negócios, a cadeia de lojas de conveniência 7-Eleven fechou um acordo com a empresa norte-americana Marathon Petroleum para comprar as lojas Speedway. E no Brasil poderá ser criada uma nova Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira, mas apenas se não aumentar a carga fiscal.

Reuters

Lucros do HSBC caem 65%. Perdas com créditos podem atingir 13 mil milhões de dólares

O HSBC apresentou resultados esta segunda-feira seguindo a tendência dos outros bancos que têm vindo a aumentar as suas provisões devido à pandemia de Covid-19. No primeiro semestre, o maior banco europeu em termos de ativos registou um lucro antes de impostos de 4,32 mil milhões de dólares, um desempenho inferior ao esperado pelos analistas. O banco aumentou a previsão de custos com crédito malparado que se deverá situar entre oito e 13 mil milhões de dólares, e não entre 7 ou 11 mil milhões como inicialmente previsto, porque as perdas no segundo trimestre foram superiores ao esperado. Além disso, a quebra abrupta da economia também prejudicou as perspetivas.

Leia a notícia completa na Reuters (acesso livre/conteúdo em inglês)

Les Echos

Société Générale com perdas líquidas de 1,26 mil milhões de euros

A crise do coronavírus e a recessão que a pandemia provocou, com uma quebra do PIB de 13,8% no segundo trimestre, tiveram um impacto negativo nas contas do Société Générale. O banco registou perdas líquidas de 1,26 mil milhões de euros no segundo trimestre, de acordo com o comunicado ao mercado com os resultados. Nos três primeiros meses do ano, a instituição já tinha perdido 326 milhões de euros. As receitas caíram 15,7% para 5,3 mil milhões de euros e os ativos desvalorizaram 684 milhões de euros. As provisões relacionadas com os riscos de créditos incobráveis também aumentaram. Com estes resultados, as ações do Société Générale abriram a cair 3%.

Leia a notícia completa nos Les Echos (acesso pago/conteúdo em francês)

CNBC

Microsoft afinal continua em discussões para compra da filial da TikTok nos EUA

A Microsoft anunciou que vai continuar as discussões para a possível compra da popular aplicação de vídeo chinesa TikTok nos Estados Unidos, um processo que prometeu concluir o mais tardar em setembro. A decisão foi anunciada pela empresa sedeada em Redmond, estado de Washington, após o seu CEO, Satya Nadella, ter falado com o Presidente norte-americano, Donald Trump, que na sexta-feira anunciou a sua intenção de proibir a rede social chinesa no país. “A Microsoft avançará rapidamente para continuar as discussões com a empresa-mãe do TikTok, ByteDance, numa questão de semanas, e em qualquer caso completar estas conversações o mais tardar até 15 de setembro de 2020”, apontou a empresa norte-americana, em comunicado.

Leia a notícia completa na CNBC (acesso livre/conteúdo em inglês)

Bloomberg

7-Eleven compra lojas Speedway

A cadeia de lojas de conveniência 7-Eleven fechou um acordo com a empresa norte-americana Marathon Petroleum para comprar as lojas Speedway num negócio no valor de 21 mil milhões de dólares (17,82 mil milhões de euros). A operação entre o grupo japonês e norte-americano deverá ser encerrada no primeiro trimestre do próximo ano, enquanto se aguarda a aprovação das autoridades reguladoras, informou uma conjunta declaração das empresas. O montante que a empresa americana receberá, que se estima atingir 16,5 mil milhões de dólares após impostos, será utilizado para pagar dívidas e gerar rendimentos para os seus acionistas. A Speedway tem quase 4.000 lojas nos Estados Unidos, enquanto a cadeia 7-Eleven tem 69.200 lojas em dezoito países, incluindo 22.400 no Japão e 11.800 nos Estados Unidos.

Leia a notícia completa na Bloomberg (acesso condicionado /conteúdo em inglês)

Valor Económico

Bolsonaro admite nova CPMF, mas só se não houver aumento da carga fiscal

O Presidente brasileiro Jair Bolsonaro confirmou que deu luz verde ao ministro da Economia, Paulo Guedes, para discutir a criação de uma nova Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF ) no Congresso Nacional, mas desde que haja a substituição, redução ou extinção de outro imposto. O Chefe de Estado garante que se o novo imposto prosperar, não haverá aumento da carga fiscal. “Não haverá aumento da carga fiscal. Pode-se substituir o imposto. O que disse a Paulo Guedes foi: ‘Você fala CPMF? Pode ser o imposto que você quiser. Mas tem de ver para o outro lado o que vai deixar de existir. Se vai diminuir a tabela de imposto sobre os rendimentos, o percentual, se vai aumentar a isenção, se vai desonerar a folha de pagamento, vai vai também acabar com o Imposto sobre Produtos Industrializados”, contou. Bolsonaro disse, ainda, que “se o povo achar que não deve mexer”, o Governo deve deixar “como está”.

Leia a notícia completa no Valor Económico (acesso pago)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Nas notícias lá fora: HSBC, TikTok e 7-Eleven

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião