Regulador polaco multa Jerónimo Martins em 26 milhões por prática de preços enganadora

O regulador multou a retalhista em 115 milhões de zlotys (26 milhões de euros) por políticas de preços enganadoras no seu supermercado polaco Biedronka. Empresa vai recorrer da decisão.

O gabinete anti-monopólio polaco UOKiK multou a Jerónimo Martins em 115 milhões de zlotys (cerca de 26 milhões de euros) pela prática de políticas de preços enganadoras nas lojas dos seus supermercados polacos da marca Biedronka.

“O preço é um dos critérios mais importantes para os consumidores quando escolhem os produtos. É inaceitável enganar os clientes sobre o preço”, disse Tomasz Chrostny, responsável máximo do UOKiK, num comunicado desta segunda-feira.

O regulador polaco diz que a sua investigação revelou que os preços finais dos produtos vendidos pela Biedronka, retalhista que lidera o mercado polaco, eram superiores aos rótulos indicados na loja ou que não existia informação sobre o preço. Segundo aquela autoridade polaca essa política já estava a ser implementada pelo menos desde o ano de 2016 na Biedronka, penalizando assim os consumidores.

“A prática de longo prazo resultou em perdas reais nas carteiras dos consumidores e enriquecimento injustificado do proprietário da rede às suas custas. Foi por isso que decidi aplicar uma multa de 115 milhões de zlotys à Jerónimo Martins Polónia”, justificou assim o regulador polaco.

Aquela entidade diz ainda que a existência de irregularidades também foi confirmada pela própria empresa, que as explicou como sendo “erros humanos decorrentes da grande escala das operações”. “Não descartamos que assim fosse, mas não justifica de forma alguma atuar em detrimento dos clientes”, explica o comunicado do UoKiK, acrescentando ainda que “apesar das inúmeras irregularidades detetadas” a empresa “não procurou resolver este problema de forma sistemática”.

“Ficámos surpreendidos com a decisão do Gabinete da Concorrência e Defesa do Consumidor, que consideramos imerecida e injusta face ao nosso empenho e consistência na política de preços baixos aos clientes”, reagiu já a Biedronka em comunicado citado pela Reuters.

Entretanto, a Jerónimo Martins Polska (JMP), subsidiária do grupo de retalho português na Polónia, vai impugnar judicialmente a decisão do regulador da concorrência polaco.

“A Jerónimo Martins Polska (JMP) discorda do entendimento e da conclusão da Autoridade Polaca da Concorrência e Proteção do Consumidor (UOKiK) e irá impugnar judicialmente a decisão”, indicou fonte oficial do grupo à Lusa.

O negócio polaco da Jerónimo Martins também está a ser investigado por negociações injustas com fornecedores e por rotular erroneamente as mercadorias como sendo próprias.

As ações da Jerónimo Martins seguem na bolsa de Lisboa a desvalorizar 0,35% para os 14,105 euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Regulador polaco multa Jerónimo Martins em 26 milhões por prática de preços enganadora

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião