Quantas pesquisas são feitas por dia no Google?

É o motor de busca dominante, processando mais de 90% de todas as pesquisas online feitas no mundo. Quantas serão feitas por dia? E por hora? Descubra neste "Sabia que...".

Desde os primórdios da web que o Google é um dos sites mais visitados do mundo. Com o tempo, para a generalidade dos internautas, veio a tornar-se uma janela aberta que responde em instantes a qualquer questão que possa surgir. Apresenta resultados num segundo e arquiva informação como nenhum outro repositório.

É por isso que os números do Google enchem o olho. A multinacional raramente revela o volume de pesquisas, muito menos para um determinado país, pelo que não é possível saber com exatidão quantas dessas buscas são feitas a cada dia pelos portugueses. Ainda assim, há estimativas globais que vale a pena conhecer.

Segundo as do Internet Live Stats referentes a 2019, um agregador de estatísticas sobre o mundo digital, o Google deve processar pelo menos 3,5 mil milhões de pesquisas por dia, o que representa perto de 40 mil pesquisas a cada segundo, em média.

Com o teletrabalho e a pandemia, e com a transformação digital a ganhar ainda mais tração ao nível global, este número tenderá a aumentar. A avaliar pelos dados em tempo real disponibilizados pela mesma fonte, o número de pesquisas deverá ascender a 3,8 mil milhões por dia, aproximando-se cada vez mais da fasquia das 4 mil milhões diárias.

De resto, a dominância do Google no mercado das pesquisas online é suprema e inquestionável. Segundo dados da StatCounter, um portal de estatísticas, o Google processa 92,17% das pesquisas a nível mundial, seguido muito à distância pelo Bing da Microsoft (2,78%), Yahoo (1,6%), Baidu (0,92%), Yandex (0,85%) e DuckDuckGo (0,5%).

O ECO perguntou à Google Portugal quantas pesquisas fazem os portugueses por dia no conhecido motor de busca. Fonte oficial da empresa respondeu que “a Google não divulga valores absolutos das pesquisas”.

Quanto custa fazer uma máscara? Quanto gasta cada família com as telecomunicações? Quanto cobra uma imobiliária para vender a casa? Ou qual a profissão mais bem paga do país? Durante todo o mês de agosto, e todos os dias, o ECO dá-lhe a resposta a esta e muitas outras questões num “Sabia que…”.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Quantas pesquisas são feitas por dia no Google?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião