Quantos litros de cerveja são produzidos em Portugal? E quantos se bebem?

A produção de cerveja aumentou e em 2019 foram produzidos 739 milhões de litros. Cada português consumiu aproximadamente 53 litros de cerveja por ano.

O ano passado, em Portugal foram produzidos 739 milhões de litros de cerveja, mais 15 milhões de litros que o ano anterior, de acordo com os dados do Eurostat, publicados este mês. Do total produzido, 548 milhões de litros destinaram-se ao consumo doméstico, sendo que a restante produção foi para exportação, avança os Cervejeiros de Portugal (APCV).

“O paradigma está a mudar em consequência da melhoria na cultura cervejeira e pela mudança de atitude dos consumidores, que hoje são mais experimentalistas e procuram a descoberta de novos sabores, experiência e diversidade”, explica ao ECO o secretário-geral da Cervejeiros de Portugal, Francisco Gírio.

De acordo com dados da associação, em 2019, o consumo per capita/ano de cerveja em Portugal foi de 53 litros. “Somos o 24º país europeu em consumo per capita, o que revela a forma moderada e responsável como os portugueses apreciam a cerveja”, explica Francisco Gírio. O secretário-geral da Cervejeiros de Portugal alerta que o consumo de cerveja em Portugal tem vindo a diminuir. “O consumo em Portugal tem vindo gradualmente a diminuir desde 1991, ano que registou 61 litros per capita“, explica ao ECO, Francisco Gírio, secretário-geral da Cervejeiros de Portugal.

Apesar do consumo per capita ficar aquém do de vários países da União Europeia, Portugal está bem posicionado no consumo de cerveja fora de casa, ao ocupar a primeira posição do ranking. “A nível europeu, Portugal é o país nº 1 no consumo de cerveja fora de casa (segmento hotéis, bares e restaurantes) com uma quota de 69%, logo seguido da Espanha com uma quota de 67%. Este perfil de consumo nacional está mais exposto às medidas de confinamento e restrições passadas e atuais existentes nos bares, restaurantes, cafés e discotecas, afetando negativamente o consumo de cerveja em Portugal”, destaca Francisco Gírio.

Cerveja preta, loira, artesanal, com aroma, sem álcool, fermentada. Existem vários tipos de cerveja, mas são as Lager as cervejas mais consumidas no mercado português. “São cervejas de baixa fermentação, tipicamente mais leves e com uma maior expressão das características transmitidas pelos cereais e pelo lúpulo, características também apreciadas pelo consumidor estrangeiro”, adianta a APCV.

Grande parte da cerveja produzida é consumida em Portugal

Do milhões de litros de cerveja produzidos em Portugal, o ano passado, cerca de 177 milhões direcionaram-se ao mercado externo, essencialmente à União Europeia. “Exportámos cerca de 112 milhões de litros, nomeadamente para países como França, Alemanha, Luxemburgo e Suíça. Os restantes 65 milhões de litros foram exportados principalmente para os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa e a China”, refere o secretário-geral da Cervejeiros de Portugal.

Para além das grandes indústrias, Portugal tem mais de 100 micro cervejeiras espalhadas pelos 18 distritos de Portugal, mas a produção de cerveja tem oscilado mediante os anos.

Segundo dados do Eurostat, de janeiro a dezembro de 2017 foram produzidos 745 milhões de litros, no ano seguinte esse número diminuiu para 723 milhões, voltando a aumentar para 739 milhões de litros produzidos o ano passado.

No último relatório Anual Europeu de Estatísticas de Tendências de Cerveja da Europa, “The Brewers of Europe”, divulgado em 2019, mas que respeita à produção e consumo no ano de 2018, Portugal posicionava-se em 12.º lugar entre 31 países, numa lista liderada pela Alemanha.

No total, dentro da União Europeia, o ano passado foram produzidos mais de 34 mil milhões de litros de cerveja com álcool, menos 5 mil milhões que em 2018, de acordo com as últimas estatísticas de produção do Eurostat divulgadas este mês de agosto. A produção de cerveja da UE foi equivalente a cerca de 77 litros por habitante.

Entre os Estados-Membros da UE, Alemanha continua a superar os adversários e foi o maior produtor de cerveja em 2019, com uma produção de 8 mil milhões de litros (ou 23% da produção total da UE). Por outras palavras, cerca de uma em cada quatro cervejas contendo álcool produzidas na UE era originária da Alemanha.

Quanto custa fazer uma máscara? Quanto gasta cada família com as telecomunicações? Quanto cobra uma imobiliária para vender a casa? Ou qual a profissão mais bem paga do país? Durante todo o mês de agosto, e todos os dias, o ECO dá-lhe a resposta a esta e muitas outras questões num “Sabia que…”.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Quantos litros de cerveja são produzidos em Portugal? E quantos se bebem?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião