Há cada vez mais doentes sem dinheiro para comprar medicamentos

  • ECO
  • 25 Agosto 2020

O programa Abem tem cerca de 16 mil beneficiários, ou seja, 16 vezes mais do que os registados no ano de estreia. De julho do ano passado para este ano, os pedidos de apoio aumentaram em 50%.

Os efeitos da pandemia de Covid-19 acentuaram as dificuldades vividas por várias famílias portuguesas. A perda de rendimentos provocada pela pandemia fez aumentar em 50% os pedidos de apoio ao programa da associação Dignitude destinado a apoiar quem precisa de ajuda para a compra de remédios, avança o Jornal de Notícias (acesso pago).

O programa Abem, da associação Dignitude em parceria com as autarquias e instituições sociais, permite que 16 mil pessoas de todo o país possam comprar medicação sem gastar dinheiro. Perante a pandemia, a procura por este programa de apoio é 16 vezes superior quando o programa chegou, em 2016. Além disso, registou-se um aumento de cerca de 50% de julho do ano passado para este ano, revela o mesmo jornal.

Ainda assim, nem todos os pedidos de ajuda cumprem os requisitos necessários para entrarem no programa Abem. Segundo Maria de Belém Roseira, embaixadora da Dignitude, a referenciação dos beneficiários é feita pelos parceiros sociais que avaliam a carência com base em vários fatores, como a declaração de IRS do ano anterior.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Há cada vez mais doentes sem dinheiro para comprar medicamentos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião