Sul-coreana Hanwha Q Cells consegue metade dos projetos do leilão solar

  • ECO
  • 25 Agosto 2020

Após este leilão, a sul-coreana entra no negócio de produção de energia em Portugal.

Seis dos 12 lotes a concurso no leilão solar foram arrebatados pela empresa sul-coreana Hanwha Q Cells, avançou o Expresso (acesso livre). Era o máximo com que podia ficar, já que nenhuma empresa poderia ganhar mais de metade dos projetos. A empresa poderá instalar mais de 300 megawatts (MW) de novas centrais solares no Alentejo e Algarve.

A Hanwha licitou os lotes na modalidade que inclui armazenagem com baterias, o que implica o pagamento pelo promotor de uma contrapartida fixa ao sistema elétrico, durante 15 anos. Com esta operação, a sul-coreana entra no negócio de produção de energia em Portugal, sendo que tinha já tentado participar no leilão anterior, sem conseguir.

Deste segundo leilão, onde estavam em cima da mesa 700 megawatts para novas centrais solares, terá também saído vencedora a francesa Tag Energy, que conseguiu dois lotes, bem como a espanhola Iberdrola, que ficou com vários lotes no último leilão, e a italiana Enel, que ganharam um lote cada. O leilão fica para a história tento batido recordes mundiais com os preços mais baixos de sempre.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Sul-coreana Hanwha Q Cells consegue metade dos projetos do leilão solar

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião