Esta máscara substitui as que faz em casa. É toda tech

A LG revelou a LG PuriCare, uma máscara que purifica o ar que o utilizador respira. Tem dois filtros HEPA, e uma caixa LED UV que "mata" o vírus. A bateria dura oito horas em baixo rendimento.

Está a aumentar o uso de máscaras para evitar a propagação do novo coronavírus. Muitas pessoas utilizam equipamentos descartáveis, que não são “amigos do ambiente”, mas muitas mais recorrem às máscaras sociais. A LG tem uma alternativa tecnológica. Chama-se LG PuriCare e é uma máscara que purifica o ar que o utilizador respira.

Com dois filtros HEPA — semelhantes àquelas que se utilizam nos filtros usados nos purificadores de ar doméstico –, “substituíveis” e de “alto desempenho” , bem como “um sensor respiratório patenteado” , a máscara fornece ar fresco e limpo, tanto em espaços fechados como no exterior”, revela o TechCrunch (acesso livre, conteúdo em inglês), citando o comunicado da empresa.

Este respirador patenteado deteta o ciclo e o volume da respiração dos utilizadores, ajustando os ventiladores duplos de tês velocidades. Deste modo, os ventiladores aceleram automaticamente “para ajudar a entrada do ar e diminuem a velocidade para reduzir a resistência ao expirar, de forma a facilitar a respiração”, detalha a LG.

Com dois filtros HEPA “substituíveis” e de “alto desempenho” e um sensor respiratório patenteado” , a máscara fornece ar fresco e limpo.D.R.

Além disso, a LG PuriCare possui uma bateria “eficiente” de 820mAh, o que permite até oito horas de utilização interrupto em baixo consumo ou duas horas de utilização intensiva, como a fazer desporto, por exemplo.

Por forma a manter a higienização do equipamento, a máscara conta com uma caixa que está equipada “com luzes UV-LED que eliminam os germes prejudiciais”. Através deste estojo cada utilizador pode carregar a máquina e enviar uma notificação para a app LG ThinQ (disponível para iOS e Android) para avisar quando os filtros precisam de ser substituídos.

Além de inovadora, a máscara LG PuriCare é ainda sustentável, já que dos filtros às tiras do ouvido todos os materiais são “substituíveis e recicláveis”. Esta é uma das inovações que a tecnológica vai apresentar no próximo mês na na exposição virtual na IFA 2020.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Esta máscara substitui as que faz em casa. É toda tech

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião