Governo quer desfasar horários de trabalho para evitar “horas de ponta”

  • ECO
  • 10 Setembro 2020

O Governo está a ultimar as novas medidas para a fase de contingência. Na lista inclui-se a hipótese de desfasamento dos horários de entrada e saída do trabalho para evitar ajuntamentos.

Com a fase de contingência à porta, devido ao arranque do ano letivo, o Governo prepara-se para anunciar um conjunto de novas medidas restritivas em todo o país. O objetivo passa por evitar horas de ponta, sobretudo nos transportes públicos, e uma das hipóteses é o desfasamento dos horários nos locais de trabalho, avança o Observador. Contudo, as máscaras não passarão a ser obrigatórias na rua ou em espaços ao ar livre.

As novas medidas vão ser aprovadas esta quinta-feira em Conselho de Ministros e na lista, que ainda não está fechada, incluiu-se a possibilidade de desfasamento dos horários de entrada e saída nos locais de trabalho, de forma a evitar ajuntamentos à porta dos estabelecimentos. Se houver dois horários diferenciados, por exemplo, é possível distribuir as pessoas por dois grupos e cortar em metade a concentração nas horas de ponta.

Citando fontes do Governo, o Observador refere ainda que o uso de máscara continuará a ser obrigatório apenas em espaços fechados. “O problema é com os espaços fechados”, diz a mesma fonte. O uso de máscara vai continuar a não ser facultativo apenas em transportes públicos, serviços públicos como repartições de finanças e conservatórias, no comércio e na restauração.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo quer desfasar horários de trabalho para evitar “horas de ponta”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião