Marcelo quer TAP a cumprir “missão” em prol do turismo nacional e do Porto

  • Lusa
  • 15 Setembro 2020

O Presidente da República disse esperar que a TAP possa recuperar das dificuldades causadas pela pandemia, cumprindo a missão em prol do turismo nacional e do Porto.

O Presidente da República disse esperar que a TAP, como outros operadores, consigam ultrapassar as dificuldades causadas pela pandemia de Covid-19 para cumprir uma missão para o turismo nacional e para o turismo do Porto.

“Eu espero é que se ultrapasse essa fase porque faz muita falta, faz muita falta que quer esse operador, quer outros operadores aéreos possam cumprir uma missão para o turismo português e para o turismo do Porto”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa quando questionado pelos jornalistas sobre o plano de retoma da TAP.

O chefe de Estado, que falava à margem de uma visita ao Porto, referiu que a companhia de bandeira nacional “foi muito atingida” pela pandemia e pela crise que esta originou, sendo exemplo disso o movimento nos aeroportos nacionais.

“É evidente que quanto há uma epidemia desta natureza e uma crise deste alcance, a operadora aérea nacional por excelência foi atingida, foi muito atingida, basta olhar para o panorama dos aeroportos, a começar no aeroporto Humberto Delgado [Lisboa], e ver os aviões parados às dezenas”.

Marcelo Rebelo de Sousa salientou que “isso coincidiu com um processo, que ele próprio foi um processo lento, um processo de restruturação que está em curso e que tem um preço, esse preço é global e depois há preços específicos”.

Na segunda-feira, o Jornal de Notícias avançou que o Porto “volta a ficar de fora dos planos de retoma da TAP”. Num esclarecimento enviado no mesmo dia à Lusa, a transportadora sublinhou que “não anunciou ainda o total da sua operação para o verão 2021” e que “acompanha em permanência a evolução dinâmica da pandemia e os seus impactos operacionais e a lista de rotas e voos disponível em sistema de reservas será ajustada sempre que as circunstâncias o exijam”.

À data, a empresa referiu que, para “o período entre outubro 2020 e março 2021, anunciou apenas duas novas rotas”, sendo “uma com partida de Lisboa e outra do Porto (Lisboa-Maceió e Porto-Sal)”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Marcelo quer TAP a cumprir “missão” em prol do turismo nacional e do Porto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião