BCE volta a aliviar exigências de capital aos bancos

A entidade liderada por Christine Lagarde anunciou um novo alívio nas exigências de capital aos bancos, para fazer face às "circunstâncias excecionais" impostas pela pandemia de Covid-19.

O Banco Central Europeu (BCE) anunciou esta quinta-feira um novo alívio nas exigências de capital aos bancos, para fazer face às “circunstâncias excecionais” impostas pela pandemia de Covid-19. Depósitos, notas e moedas que os bancos têm no BCE deixam de contar para o rácio de alavancagem.

“O Banco Central Europeu anunciou hoje [quinta-feira] que os bancos da área do euro sob a sua supervisão direta podem excluir certas exposições do banco central do rácio de alavancagem”, começa por dizer a instituição liderada por Christine Lagarde em comunicado, acrescentando que “a medida visa facilitar a implementação da política monetária” e surge depois de o Conselho do BCE, enquanto autoridade monetária da área do euro, “ter confirmado que existem circunstâncias excecionais devido à pandemia do coronavírus”.

No quadro das novas circunstâncias, os supervisores da banca estão habilitados a excluir da exposição ao banco central moedas, notas e depósitos dos bancos no BCE, que deixam assim de contar para o rácio de alavancagem, indicador que mede a relação entre o capital e os ativos do balanço dos bancos. Tal permite que as entidades tenham mais espaço para poderem pedir mais empréstimos, porque o BCE não lhes exigirá mais capital por isso.

O banco central presidido por Christine Lagarde adianta que esta facilidade tem caráter temporário e dura apenas até 27 de junho de 2021.

De acordo com os dados de março, a exclusão destas exposições aumentaria o rácio de alavancagem agregado de 5,36% em cerca de 0,3 pontos percentuais.

O requisito de 3% de rácio de alavancagem será vinculativo a partir de 28 de junho de 2021, mas até essa ocasião o BCE terá de anunciar uma decisão sobre se mantém este alívio no cálculo do rácio.

Este alívio de requisitos permitido aos bancos pelo BCE surge no seguimento de outras medidas de incentivo ao financiamento à economia já anunciadas em março.

(Notícia atualizada pela última vez às 11h22)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

BCE volta a aliviar exigências de capital aos bancos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião