Israelita investe 13,5 milhões em prédio de luxo em Lisboa

O David Rabbi Group vai construir um prédio com 18 apartamentos de luxo mesmo ao lado dos terrenos da antiga Feira Popular, em Lisboa.

Contam-se os dias para os terrenos da antiga Feira Popular, em Entrecampos, ganharem vida. Mas, enquanto isso não acontece, a área envolvente começa a mexer. De olhos postos na transformação que aquela zona da capital vai sofrer, o israelita David Rabbi decidiu construir mesmo ao lado, na famosa Avenida 5 de Outubro, um prédio de luxo com dez andares.

Dez pisos acima do solo e um parque de estacionamento subterrâneo com postos de carregamento para veículos elétricos. O David Rabbi Group vai construir sob as ruínas de um antigo jardim de infância o 355 Outubro, um prédio com uma loja no rés-do-chão e 18 apartamentos de luxo. “Depois de analisar dezenas de propostas diferentes, tenho a certeza de que esta é a localização certa para investir”, conta o empresário com raízes portuguesas ao ECO.

O 355 Outubro vai começar a ser construído dentro de dois meses e terá nove apartamentos T2 e oito T3. Nos últimos dois andares haverá uma penthouse duplex com cinco quartos, numa área total de 303 metros quadrados. Isto tudo num investimento de cerca de 13,5 milhões de euros.

Exterior do 355 Outubro.David Rabbi Group

Todo o projeto se vai desenvolver sob “altos padrões de qualidade” e os apartamentos serão autênticos smart homes”, nota. O 355 Outubro será financiado pelo Banco BPI, que vai oferecer condições vantajosas de crédito à habitação aos interessados.

O empresário israelita acredita fortemente nesta localização, pela proximidade ao metro, comboio e universidades e pelos fáceis acessos às principais artérias da cidade. “Os novos projetos previstos para esta localização, as pessoas e as fortes infraestruturas farão desta zona a mais atrativa de Lisboa”, comenta David Rabbi.

Esta não é uma estreia de David Rabbi em Portugal, que já esteve envolvido noutras operações. E os investimentos também não ficarão por aqui. “Sinto-me em casa em Portugal. Como empresário ativo em várias cidades e países do mundo, estou confiante de que Lisboa tem um enorme potencial para continuar a desenvolver-se como uma das principais capitais da Europa”, remata o responsável.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Israelita investe 13,5 milhões em prédio de luxo em Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião