Trump proíbe download do TikTok e uso do WeChat nos EUA

A Administração Trump tomou a decisão de excluir o TikTok e o WeChat das lojas de aplicações no domingo, proibindo mesmo o uso deste último aplicativo.

A Administração Trump anunciou que vai proibir o download das aplicações TikTok e WeChat a partir deste domingo. Os aplicativos de origem chinesa, que são usados por mais de 100 milhões de pessoas nos EUA, deverão ser expulsos das lojas de aplicações da Google e da Apple, sob o pretexto de representarem uma ameaça à segurança nacional e à privacidade dos cidadãos.

No caso do WeChat, uma plataforma de mensagens instantâneas e serviços, serão também proibidas todas as transferências de dinheiro ou pagamentos com recurso à aplicação. Além disso, todas as empresas ficarão impedidas de oferecer alojamento, redes de distribuição de conteúdo ou outros recursos que permitam contornar as restrições ao WeChat, passando ainda a ser ilegal usar código da app em qualquer serviço ou software nos EUA.

Em relação ao TikTok, uma rede social de vídeos, as proibições relativas ao fornecimento de serviços também se aplicarão a partir de 12 de novembro. Até lá, continuam as negociações para a venda da aplicação, sendo que um consórcio liderado pela Oracle está na frente da corrida pela operação da aplicação.

Ou seja, na prática, passará a ser ilegal descarregar o TikTok e o WeChat a partir de domingo, mas será também ilegal usar o WeChat. E a partir de 12 de novembro, se não houver venda do TikTok, a rede social poderá seguir o mesmo caminho.

Em declarações citadas pela imprensa norte-americana o secretário do Comércio, Wilbur Ross, considerou que a decisão desta sexta-feira “prova mais uma vez que o presidente Trump fará tudo o que estiver ao seu alcance para garantir a segurança nacional e a proteção dos americanos das ameaças do Partido Comunista Chinês”. A Administração Trump teme que as duas aplicações podem ser usadas pelo regime de Xi Jinping para espiar os cidadãos.

O WeChat é detido pela Tencent, um dos maiores grupos chineses de tecnologia. A aplicação é usada por largas centenas de cidadãos chineses como uma plataforma única para os mais variados serviços, desde a comunicação à entrega de pizas e ao transporte privado. O TikTok é controlado pela chinesa ByteDance e tem também vários milhões de utilizadores nos EUA, estando a ganhar popularidade dia após dia.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Trump proíbe download do TikTok e uso do WeChat nos EUA

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião