Costa e Ursula von der Leyen apresentam planos de recuperação juntos

  • Lusa
  • 24 Setembro 2020

Ursula von der Leyen terá um jantar de trabalho com Costa, antes de apresentar o plano de recuperação da UE. Irá, depois, estar presente na reunião do Conselho de Estado.

O primeiro-ministro, António Costa, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, vão estar juntos na terça-feira, na Fundação Champalimaud, em Lisboa, para apresentarem respetivamente os planos de recuperação português e da União Europeia.

Fonte do Governo disse à Lusa que ainda antes desta sessão o primeiro-ministro e a presidente da Comissão Europeia farão uma visita ao Instituto Ricardo Jorge, valência que tem estado na primeira linha do combate à Covid-19.

Para a sessão de apresentação do Plano de Recuperação e Resiliência, por António Costa, e do Plano de Recuperação da União Europeia, por Ursula Von der Leyen, foram convidados representantes das 27 comunidades intermunicipais, das áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto, da Associação Nacional dos Municípios Portugueses e da Associação Nacional de Freguesias.

Nesta sessão, na Fundação Champalimaud, segundo o executivo, estarão também representantes das regiões autónomas dos Açores e da Madeira, do Conselho dos Institutos Superiores Politécnicos, do Conselho de Reitores da Universidade Portuguesa, parceiros sociais e associações empresariais.

Na véspera, na segunda-feira, António Costa recebe Ursula Von der Leyen em São Bento, tendo depois com a responsável política alemã um jantar de trabalho.

Nesse jantar de trabalho, em análise, de acordo com fonte do Governo, estarão os temas da atualidade na União Europeia, com particular destaque para o combate à Covid-19, mas também a preparação da presidência portuguesa, que começa em 01 de janeiro do próximo ano.

Durante a sua presença em Portugal, Ursula von der Leyen, participa ainda na terça-feira, a convite do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, na reunião do Conselho de Estado.

O Conselho de Estado debaterá a situação e o futuro da Europa e está marcado para o Palácio da Cidadela de Cascais, distrito de Lisboa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Costa e Ursula von der Leyen apresentam planos de recuperação juntos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião