Ambientalistas e Coca Cola lançam projeto “Plantar Água” no Algarve

Até 2050, estima-se que os resultados da plantação de 50.000 árvores em 100 hectares produzam uma recuperação de 200 a 250 milhões de litros de água por ano.

No Dia Nacional da Água, que se celebra esta quinta-feira, 1 de outubro, a ANP|WWF e a The Coca-Cola Foundation apresentaram o novo projeto “Plantar Água”, que vai restaurar 100 hectares de áreas ardidas da Serra do Caldeirão. Proteger e restituir água a esta região em grave escassez hídrica através da plantação de árvores e arbustos autóctones é o objetivo do projeto, garante a associação ambientalista ANP – Associação Natureza Portugal em associação com a WWF.

O projeto tem como grande objetivo o restauro ecológico de áreas ardidas no incêndio de grandes dimensões que ocorreu em 2012 e que instalará mais de 50.000 árvores e arbustos mediterrânicos em 100 hectares no Sítio do Barranco da Corte/Ribeira da Foupana, no coração da Serra do Caldeirão, em pleno Sítio Rede Natura 2000. E

Até 2050, estima-se que os resultados desta plantação, e através de uma floresta já madura, produzam uma recuperação de 200-250 milhões de litros de água/ano, o que nas palavras de Ângela Morgado, diretora executiva da ANP|WWF “é fundamental para esta região que sofre de escassez hídrica e que, num contexto de alterações climáticas, poderá ver a sua situação muito agravada nos próximos anos.”

Sandra Vera-Cruz, diretora-geral da Coca-Cola Portugal salienta que “este projeto em vai permitir recuperar, numa zona de stress hídrico, a mesma quantidade de água equivalente a toda a nossa produção de bebidas da fábrica em Portugal”.

Ângela Morgado refere que há ainda outros benefícios esperados, “tais como a recuperação dos habitats, ecossistemas e biodiversidade naquela área, maior potencial para algumas atividades como a produção de cortiça, pinheiro-manso e medronho, e também uma maior resiliência aos fogos, diminuindo-se o risco de incêndio”.

Neste momento, no terreno, decorre já a fase de limpeza das parcelas dos terrenos em recuperação. O arranque do projeto marca também a assinatura de um conjunto de protocolos com a Altri, APA-ARH do Algarve e com a Região de Turismo do Algarve. O objetivo é a expansão do projeto “Plantar Água” para outros territórios.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ambientalistas e Coca Cola lançam projeto “Plantar Água” no Algarve

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião