Exportações da indústria florestal aumentam para quase 6.000 milhões de euros em 2019

A indústria da Pasta e Papel contribuiu para mais de 43% do total das exportações florestais de 2019, num total de 2.595,1 milhões de euros.

As exportações da indústria de base florestal registaram um crescimento em 2019, face ao ano anterior, para os 5.974,7 milhões de euros, mantendo assim uma tendência que se mantém há uma década. Em 2018, as exportações da indústria florestal situaram-se nos 5.917,3 milhões de euros, revela a plataforma digital Florestas.pt, com base nos indicadores preliminares recentemente divulgados pela Direção-Geral das Atividades Económicas para esta fileira, que dizem respeito aos subsetores industriais da Madeira e Cortiça, da Pasta e Papel, e do Mobiliário e Colchões.

Embora tenha crescido em termos absolutos, o contributo destes três subsetores para o total de exportações portuguesas foi em 2019 de 9,9%, o que representa uma ligeira descida face aos 10,2% registados um ano antes.

Os dados mostram também que a indústria florestal contribui para um saldo positivo da balança comercial nacional já que o valor das importações está significativamente abaixo do montante das exportações. Ainda assim, as importações registaram um ligeiro aumento dos 3.005,8 milhões de euros em 2018, ara 3084,4 milhões de euros em 2019, uma tendência de subida que se regista deste 2013. No total das importações portuguesas, estas industrias pesam 3,9%.

Relativamente à indústria da Pasta e Papel, a plataforma Florestas.pt dá conta de que a mesma contribuiu para mais de 43% do total das exportações florestais de 2019, num total de 2.595,1 milhões de euros. Apesar de se manter como a atividade industrial que mais contribuiu para as exportações, a indústria da Pasta e Papel reduziu ligeiramente o montante exportado, que tinha totalizado 2.610,9 milhões de euros no ano anterior.

Quanto aos outros dois subsetores, foram responsáveis pelos restantes 57%, com o setor do Mobiliário e Colchões a representar cerca de 29,6% e a Madeira e Cortiça perto dos 27%, percentagens que equivalem, respetivamente, a 1.769,7 e 1.609,8 milhões de euros. Em ambos os casos, o valor das exportações cresceu ligeiramente face ao ano anterior, em que tinha totalizado 1.713,1 e 1.593,2 milhões de euros, respetivamente.

Lançada este ano, a plataforma Florestas.pt conta com o apoio e colaboração da comunidade científica nacional e de várias instituições e iniciativas com ligação à floresta. É uma iniciativa do RAIZ – Instituto de Investigação da Floresta e do Papel, um centro de investigação privado, sem fins lucrativos, reconhecido como entidade do Sistema Científico e Tecnológico Nacional e como Centro de Interface – Centro de Valorização e Transferência de Tecnologia, e da The Navigator Company. Reúne informação sobre o setor florestal nas suas diversas dimensões – natural, ambiental, recreativa e socioeconómica.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Exportações da indústria florestal aumentam para quase 6.000 milhões de euros em 2019

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião