Portugueses esperam gastar 133 euros em lazer e cultura no trimestre do Natal

Portugueses projetam gastar 133 euros em atividades de lazer como idas a restaurantes, cinema, museus, concertos e espetáculos de teatro nos últimos três meses do ano.

Os portugueses tencionam gastar, em média, cerca de 133 euros em atividades de lazer e cultura nos últimos três meses do ano, onde se incluem idas a restaurantes, cinema, museus, concertos e espetáculos de teatro. Num trimestre que será marcado por um Natal atípico por causa da pandemia, trata-se de um crescimento de 5% em relação ao início do ano, quando as intenções eram de 127 euros, de acordo com dados do Observador Cetelem.

A grande maioria dos inquiridos (88%) assume que quer fazer mais atividades de lazer nos últimos três meses de 2020, e 55% afirmam que não sabem quanto irão gastar. 28% dos inquiridos tencionam gastar até 100 euros neste tipo de atividades, enquanto 13% dos inquiridos esperam gastar entre 101 a 150 euros. Uma percentagem inferior, de 2%, assume gastar mais de 300 euros nestas atividades.

Numa análise mais detalhada, segundo os dados do Observador Cetelem, aqueles que tencionam gastar mais em lazer e cultura são os inquiridos do sexo masculino (137 euros), os que têm idades compreendidas entre os 35 e os 44 anos de idade (142 euros) e os residentes na região Norte do país (143 euros).

Lojas físicas lideram as vendas

No que respeita os locais de compra de artigos de lazer, como livros, produtos e acessórios para jogos e equipamento ou roupa desportiva, as lojas físicas lideram quase sempre.

15% dos inquiridos tencionam comprar livros e realizarão esta aquisição maioritariamente em lojas físicas (64%), enquanto 30% assume fazer este processo de forma híbrida — isto é, em lojas online e físicas. Apenas 3% preferem fazer compras somente através da internet. Os gastos médios para a compra de livros são de 94 euros.

Os dados indicam ainda que 13% dos portugueses tencionam comprar equipamento desportivo, sendo que a grande maioria pretende fazê-lo em lojas físicas (68%), enquanto 27% preferem combinar as lojas online com as físicas e apenas 5% preferem a compra só online. Os gastos médios para estes produtos são de 61 euros.

Por último, 1% pretende comprar produtos e acessórios para jogos, sendo o local preferido para a compra as lojas online (46%), com apenas 9% a preferir as lojas físicas. A combinação das duas hipóteses é também a escolha de 46% dos inquiridos. Os gastos médios para esta categoria são de 52 euros.

Este inquérito foi realizado entre 9 a 16 de setembro deste ano e teve por base uma amostra representativa de mil indivíduos residentes em Portugal Continental, de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 18 e os 74 anos de idade.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugueses esperam gastar 133 euros em lazer e cultura no trimestre do Natal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião