Catarina Martins acusa Governo de “intransigência” nas negociações do OE

  • ECO
  • 8 Outubro 2020

BE "não poderá votar um orçamento em que não há negociação", diz Catarina Martins. Espera que Governo dê resposta às preocupações do partido para viabilizar o documento.

Catarina Martins está preocupada com a “intransigência do Governo” nas negociações do Orçamento de Estado para 2021. “A chave de um orçamento estará na intransigência do Governo e no Governo ultrapassar essa intransigência”, afirmou a coordenadora do Bloco de Esquerda em entrevista à RTP, condicionando a viabilização da proposta à alteração da postura do Executivo.

O BE “não poderá votar um orçamento em que não há negociação”, frisou a líder bloquista, considerando que este “é o momento de o PS dar passos” em direção às reivindicações do Bloco, entre elas medidas para “travar a vaga de despedimentos”, reforçar o SNS e o impedimento de qualquer injeção estatal no Novo Banco.

“A nossa esperança é que, nos próximos quatro dias, o Governo dê resposta a estas preocupações”, disse a coordenadora do BE, numa referência ao tempo que falta até à entrega da proposta orçamental no Parlamento, que acontecerá a 12 de outubro.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Catarina Martins acusa Governo de “intransigência” nas negociações do OE

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião