Multas até 500€ para quem não instalar app ou usar máscara

  • ECO e Lusa
  • 15 Outubro 2020

Proposta de lei do Governo prevê coimas entre 100 e 500 euros para quem não instalar a StayAway Covid ou não usar máscara na via pública.

António Costa quer que os portugueses usem máscara na via pública para travar os contágios pelo novo coronavírus, numa altura em que o país atinges novos recordes de infeções diárias. Também pretende que o uso da app StayAway Covid seja obrigatório, tendo já entregue na Assembleia da República a proposta de lei que prevê multas até 500 euros para quem não o fizer.

O documento, que deverá ser debatido na quinta-feira, 23 de outubro, disse à Lusa fonte governamental, prevê a obrigatoriedade de usar máscara (ou viseira) na rua e em espaços públicos quando não for possível cumprir as normas de distanciamento social definidas pelas autoridades de Saúde. Obrigação é para todos aqueles que têm mais de 10 anos, havendo outras exceções que permitem a não utilização como o caso de pessoas com alguma deficiência.

Medida segue o que se pratica já noutros países, mas o Executivo quer mais para travar a escalada de novos casos de Covid-19. Costa pretende que passe a ser obrigatória a instalação da StayAwayCovid. Em ambos os casos, quem incumprir poderá ser alvo de multa que poderá ir dos 100 aos 500 euros.

“É obrigatória, no contexto laboral ou equiparado, escolar e académico, a utilização da aplicação Stayaway Covid pelos possuidores de equipamento que a permita”, diz a proposta, segundo a Lusa.

Determina-se que esta obrigatoriedade “abrange em especial os trabalhadores em funções públicas, funcionários e agentes da Administração Pública, incluindo o setor empresarial do Estado, regional e local, profissionais das Forças Armadas e de forças de segurança”. E obrigatória será também a inserção do código em caso de infeção.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Multas até 500€ para quem não instalar app ou usar máscara

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião