Claranet abre vagas para equipa internacional. Quer recrutar 25 pessoas

A empresa de tecnologias e soluções de cloud, security e workplace, abriu 25 vagas para a equipa internacional e está à procura de arquitetos e consultores e especialistas em cloud híbrida.

A Claranet Portugal, empresa especialista em tecnologias e soluções de cloud, security e workplace, abriu 25 vagas para reforçar a equipa internacional da empresa. Está à procura de arquitetos, consultores e especialistas em cloud híbrida, baseados em Portugal para trabalhar para o Grupo Claranet.

As vagas destinam-se a candidatos de qualquer nacionalidade que residam em Portugal, já que a função prevê o teletrabalho integral e também trabalho remoto a partir dos escritórios da Claranet em Lisboa e do Porto.

De acordo com a empresa, a ação de recrutamento é uma forma de dar resposta ao aumento da procura por serviços cloud.

Os 25 lugares estão distribuídos por três perfis de profissionais para um projeto em plataformas Microsoft Azure, com o início das colaborações previsto para o início de 2021.

“A Claranet há muito que aposta no trabalho descentralizado e o facto de uma importante oferta de recrutamento internacional para o grupo Claranet estar a ser feita em Portugal confirma a nossa capacidade em atrair e reter talentos na área das TI. Estas ofertas representam uma enorme oportunidade para quem procura um trabalho TI de âmbito internacional, numa área com um potencial tremendo de crescimento como a cloud e numa empresa com uma cultura reconhecida de inovação”, sublinha António Miguel Ferreira, managing director para a Iberia & Latin America da Claranet, citado em comunicado.

As vagas em aberto podem ser consultadas no site oficial da empresa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Claranet abre vagas para equipa internacional. Quer recrutar 25 pessoas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião