Alentejo recebe investimento de 15 milhões de euros em olival e frutos secos

  • Lusa
  • 2 Novembro 2020

Grupo Monte do Pasto e a companhia Innoliva vão desenvolver um projeto agrícola sustentável de olival e frutos secos no Alentejo. Investimento superior a 15 milhões de euros.

O Grupo Monte do Pasto e a companhia Innoliva vão desenvolver um projeto agrícola sustentável de olival e frutos secos no Alentejo e que implicará investimentos superiores a 15 milhões de euros, foi divulgado esta segunda-feira.

O projeto, que será desenvolvido nos concelhos de Cuba e Alvito, no distrito de Beja, está previsto num acordo assinado entre o Grupo Monte do Pasto, “líder ibérico na criação de gado bovino ao ar livre”, e a Innoliva, companhia “pioneira no desenvolvimento da olivicultura moderna” e pertencente ao Fundo de Investimento Cibus, referem os promotores, em comunicado enviado esta segunda-feira à agência Lusa.

Segundo os promotores, o projeto, que terá uma parte desenvolvida em cultura orgânica/biológica, “deverá mobilizar investimentos superiores a 15 milhões de euros” e ser um “fator de dinamização económica e social sustentável” daqueles dois concelhos, “com forte impacto social” na criação de emprego e na geração de valor acrescentado”.

Devido à dimensão, às características ambientais, à tecnologia envolvida e à qualidade certificada do projeto, os investimentos a realizar pela Innoliva deverão criar capacidades produtivas que irão contribuir para “a afirmação internacional do interior alentejano enquanto região exportadora de produtos premium“, realçam.

Já a “vocação exportadora” do projeto “irá reforçar o potencial comercial de outras produções alentejanas, designadamente possibilitando a criação de uma marca com certificação de origem e a melhoria de margens para os produtores do Alentejo”.

As empresas explicam que esta estratégia de revalorização da origem alentejana das produções como “garantia de qualidade e sustentabilidade e consequente reposicionamento de valor para o consumidor final”, inclui o lançamento pelo Grupo Monte do Pasto, “ainda este ano, da marca premium de carne bovina True Born, em Macau e, posteriormente, em Hong Kong”.

De acordo com os promotores, o acordo insere-se na estratégia de valorização dos recursos próprios e regionais que o Grupo Monte do Pasto está a desenvolver no quadro da sua integração na Plataforma Focus, uma iniciativa do seu acionista CESL Ásia e que visa “criar novas oportunidades comerciais para os produtos agrícolas portugueses de qualidade comprovada nos atrativos mercados asiáticos”.

O acordo também vai permitir “agregar capacidades financeiras e know-how de significado muito relevante” para o Alentejo, “combinando recursos de grande valor estratégico”, designadamente terra, experiência em agricultura sustentável, organização comercial e acesso a mercados relevantes.

O Monte do Pasto, com 35 anos de experiência em pecuária e agricultura sustentável, tem sede no concelho de Cuba e instalações pecuárias e quase 3.700 hectares de pastagens nos concelhos de Cuba, Alvito e Ferreira do Alentejo.

No âmbito da sua integração no CESL Asia, “grupo empresarial de referência em Macau”, o grupo tem participado no desenvolvimento de uma plataforma Portugal-Macau para lançamento de novas atividades e produtos sustentáveis, com o objetivo de contribuir significativamente para o desenvolvimento da região do Alentejo e das economias portuguesa e macaense.

A Innoliva, que diz ser “um dos maiores produtores de azeite virgem extra e azeite virgem extraorgânico no mundo”, tem propriedades no Alentejo e nos municípios espanhóis de Badajoz e Córdoba, num total de cerca de 8.000 hectares, e um lagar em Alvalade, no concelho alentejano de Santiago do Cacém.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Alentejo recebe investimento de 15 milhões de euros em olival e frutos secos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião