CMS lança a C’M’S’ Breach Assistant para resolver questões de dados pessoais

Escritório lança a C’M’S’ Breach Assistant. Coordenada por José Luís Arnaut e João leitão Figueiredo, com objetivo de resolver violações de segurança e de dados pessoais.

A C’M’S’ Breach Assistant é uma aplicação desenvolvida para responder a questões relacionadas com incidentes de segurança e violação de dados pessoais em tempo real.

Para apoiar os seus clientes a agir em situações de violações de segurança e de dados pessoais, a C’M’S’ Breach Assistant é coordenada por José Luís Arnaut e João Leitão Figueiredo e concentra numa única aplicação, acessível em qualquer momento e em qualquer lugar, orientações disponíveis sobre o cumprimento da legislação aplicável e procedimentos a seguir em mais de 70 jurisdições, com detalhes específicos em vários setores de atuação, nomeadamente Energia, Saúde e Ciências da Vida, TMC-Tecnologia, Media e Comunicação, Bancário e Financeiro.

Disponível em IOS e Android, para smartphones, e outros dispositivos móveis, é possível, “acionar” uma equipa de mais de 150 advogados, localizados em mais de 70 países, “dispostos a colaborar no desenvolvimento de ações e soluções jurídicas personalizadas e eficientes que deverão ser desencadeadas logo após a identificação e avaliação de uma violação de segurança.”, segundo comunicado do escritório.

Para José Luís Arnaut, managing partner da CMS Portugal, “esta é uma aplicação única e inovadora que inclui um acesso direto e imediato a uma equipa de advogados especializados em proteção de dados em mais de 70 países. Esta app sem dúvida que nos posiciona como líder no setor jurídico em Portugal e na Europa”.

Emma Burnett, sócia coordenadora de Proteção de Dados da CMS e líder do projeto, afirmou que “apesar do RGPD ter estado em discussão durante mais de dois anos, ainda existe incerteza em torno do cumprimento da lei e da mitigação dos riscos”.

De acordo com Duncan Weston, Coordenador Executivo deste projeto: “O lançamento da aplicação C’M’S’ Breach Assistant é o mais recente exemplo que demonstra o nosso empenho em robustecer as empresas com as melhores ferramentas disponíveis para se manterem na linha da frente, ao nível das questões e tendências jurídicas previstas para a próxima década”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CMS lança a C’M’S’ Breach Assistant para resolver questões de dados pessoais

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião