É “necessário repensar as políticas de habitação”, diz presidente da Gebalis

A Gebalis celebra 25 anos de existência e, para assinalar a data, promove um evento internacional com uma série de especialistas do setor habitacional, numa conferência que pode assistir aqui.

A necessidade de dar “repensar as políticas de habitação é cada vez maior”, numa altura em que é um dos objetivos urgentes é dar apoio social habitacional a quem precisa, resolvendo, ao mesmo tempo, outras “políticas estruturais” ao nível de toda a cidade. Em conferência esta quarta-feira, a Gebalis – Gestão do Arrendamento da Habitação Municipal de Lisboa reúne um conjunto de especialistas do setor, que vão olhar para os problemas atuais, mas também para o futuro do mercado de habitação.

“É inquestionável a necessidade do apoio social ao nível da habitação, mas também a adoção de uma abordagem urbana integrada que permita dar respostas aos problemas existentes, alguns estruturais, que estão na base destas situações, em detrimento de políticas e respostas pontuais e dispersas”, diz o presidente da Gebalis, Pedro Pinto Jesus, durante a conferência “Habitar o Futuro”.

O responsável acrescenta ser “necessário repensar as políticas de habitação e colocá-las na agenda política, a diferentes níveis”, através de “políticas de habitação fortes, integradas e em permanente interação com outras políticas estruturais”. Contudo, Pedro Pinto Jesus ressalva a importância das “questões ambientais, da mobilidade, da digitalização, da energia, do consumo, da distribuição espacial e da justiça social”.

Acompanhe aqui em direto:

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

É “necessário repensar as políticas de habitação”, diz presidente da Gebalis

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião