Mercadona vai investir mais de 140 milhões até 2025 para reduzir plástico e proteger o ambiente

Em setembro, a empresa apresentou a sua Estratégia 6.25, para reduzir 25% do plástico, ter todas as embalagens de plástico recicláveis e reciclar todos os resíduos de plástico. Já investiu 40 milhões.

Eliminar os sacos de plástico de uso único em todas as secções, eliminar os descartáveis de plástico de uso único (isto já em 2020), diminuir em 25% o plástico das embalagens, promover o desenvolvimento de embalagens recicláveis/compostáveis, reciclar os resíduos de plástico gerados nas lojas e, ainda, formar e informar os clientes de como se deve efetuar a separação correta dos resíduos, através de informação nas embalagens e nas lojas. Estas são as linhas mestras da Estratégia 6.25 da Mercadona, marca espanhola com presença em Portugal, que definiu um modelo com seis ações para um triplo objetivo até 2025.

Para avançar com esta estratégia a empresa já investiu 40 milhões de euros em 2019 e até 2025 investirá ainda mais de 140 milhões. A empresa criou uma equipa de trabalho multidisciplinar para identificar e definir as mudanças a implementar nos diferentes processos da cadeia de montagem para a redução de plástico composta por trabalhadores de diferentes departamentos da empresa, tais como Lojas e Prescrição Perecíveis, Obras e Expansão, Prescrição Secos e Informática, Logística, Financeiro e Relações Externas. Nos últimos dois meses, a Mercadona adaptou 72 lojas e transformou-as em Lojas 6.25.

Membros da equipa de trabalho da Estratégia 6.25 da Mercadona

Uma delas fica em Portugal e abriu ao público no passado dia 21 de outubro de 2020 em Matosinhos (Porto). “Esta loja pretende transmitir aos clientes e colaboradores as ações que estão a ser levadas a cabo em relação à redução de plásticos e à gestão de resíduos, sendo possível ouvir os comentários dos clientes no terreno. Este novo projeto implementou processos que permitem percecionar correções necessárias a implementar em toda a cadeia”, refere a Mercadona em comunicado.

Neste momento, a Mercadona conta já com vários exemplos de boas práticas: como a pool de caixas reutilizáveis ​​da Logifruit, que funciona há 25 anos; um modelo de gestão de resíduos que permite dar uma segunda vida a 220.000 toneladas de cartão e plástico por ano (100% das embalagens que a empresa utiliza e posteriormente recicla); ou a eliminação de sacos de plástico de um só uso na linha de caixas que a Mercadona implementou em 2019, deixando à disposição dos clientes outras opções mais sustentáveis: um saco de papel reciclável, um saco feito de plástico reciclado e um saco de ráfia reutilizável.

Para concretizar esta estratégia, a empresa irá formar os 90.000 colaboradores que integram a Mercadona em Espanha e em Portugal. Além disso, transmitiu também os objetivos da estratégia aos seus fornecedores, que já estão a trabalhar na sua implementação em conjunto com os departamentos de Compras e Prescrição

Paralelamente à redução de plástico, a Mercadona aposta também noutras áreas como é o caso da eficiência energética, da gestão responsável de resíduos ou ainda da produção e da logística sustentável, apostando na otimização de rotas e uso de energias renováveis.

A Mercadona é, desde 2009, membro do Fórum Europeu de Distribuição para a Sustentabilidade (REAP) e desde 2011 é membro do Pacto Mundial das Nações Unidas para a defesa dos valores fundamentais em Direitos Humanos, Normas Laborais, Meio Ambiente e Combate à Corrupção.

Em Portugal, integra o Pacto Português para os Plásticos, plataforma colaborativa que pretende fomentar a Economia Circular dos plásticos em Portugal e evitar que estes se transformem em resíduos, iniciativa liderada pela Smart Waste Portugal, da qual a Mercadona também faz parte.

Um ano sem microesferas de plástico

Sementes, sal marinho, sílica, entre outros, são alguns dos ingredientes que em 2019 vieram retirar as microesferas de plásticos das formulações de cremes e exfoliantes da Mercadona. A empresa assinala agora um ano sem microesferas de plásticos nos produtos da secção da Perfumaria.

Este movimento permitiu uma poupança de 10 toneladas de plástico, em 2019, em toda a cadeia em Portugal e Espanha.

A medida foi aplicada nos produtos de cosmética, tornando-os mais sustentáveis e amigos do ambiente no âmbito da sua estratégia global de futuro, anunciada em setembro de 2020: a Estratégia 6.25.

Já em 2015, a Mercadona tinha eliminado os parabenos da formulação dos seus produtos de perfumaria. O Gel de Duche Exfoliante, o Exfoliante Facial e o Bálsamo Capilar são alguns dos exemplos de produtos nos quais a empresa eliminou as microesferas de plástico.

(Notícia atualizada)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mercadona vai investir mais de 140 milhões até 2025 para reduzir plástico e proteger o ambiente

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião