Chineses compram 23% da Mota-Engil por 169,4 milhões e ações disparam 17%

Construtora chinesa assina contrato para comprar 23% do capital da Mota-Engil por 169,4 milhões de euros. Ações estão a disparar 17%.

A Mota-Engil EGL 0,38% fechou esta sexta-feira um acordo com a China Communications Construction Company (CCCC) para a venda de 23% da participação da construtora nacional ao grupo chinês por 169,4 milhões de euros, de acordo com a informação enviada ao mercado.

As duas partes já tinham anunciado o negócio em agosto passado, mas só agora o acordo de parceria estratégica e de investimento ficou fechado, sendo que a sua efetividade ainda se encontra “dependente da verificação de várias condições precedentes, de índole legal e contratual”.

Entre estas condições, destaca a empresa portuguesa, incluem-se a aprovação ou o consentimento por parte de diversas entidades públicas e a confirmação por parte da Comissão do Mercados de Valores Mobiliários (CMVM) de que o acordo e as operações nele previstas não impõem para a CCCC a obrigação de lançamento de uma oferta pública de aquisição.

Após a divulgação deste acordo, as ações da Mota-Engil disparam 16,69% para 1,748 euros na bolsa de Lisboa, o valor mais elevado desde o final de agosto, justamente quando a construtora anunciou o acordo com o grupo chinês.

Ainda assim, os títulos continuam a transacionar a um valor bastante abaixo daquele que a CCCC irá pagar (3,08 euros por ação) pelas 55 milhões de ações que vai adquirir à Mota Gestão e Participações no âmbito deste acordo de parceria. O negócio com o grupo chinês avalia a construtora liderada por Gonçalo Moura Martins em cerca de 740 milhões de euros.

Mota-Engil acelera na bolsa

Havendo condições para o negócio avançar, a Mota-Engil irá realizar um aumento do capital social com a emissão de 100 milhões de novas ações, sendo subscrito na íntegra pela CCCC.

A Mota-Engil adianta que a assembleia geral de acionistas “será convocada em breve” para autorizar o conselho de administração a aprovar o aumento de capital que será subscrito pelo grupo chinês, “nos termos e condições a decidir por este órgão no momento oportuno”.

Após este aumento, será imputável à Mota Gestão e Participações uma participação de cerca de 40% do capital social da Mota-Engil e o novo acionista chinês atingirá uma participação ligeiramente superior a 30%.

Este acordo de parceria estratégica e de investimento com a CCCC, que contou com a assessoria do Haitong, permitirá “um reforço das capacidades financeiras, técnicas e comerciais do Grupo Mota-Engil, a fim de aumentar as suas atividades em todos os mercados e abrir novas oportunidades para novos desenvolvimentos“.

(Notícia atualizada às 13h29 com novas cotações da Mota-Engil)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Chineses compram 23% da Mota-Engil por 169,4 milhões e ações disparam 17%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião