Subir salário mínimo “vai de forma imediata criar desemprego”, diz CAP

  • ECO
  • 5 Dezembro 2020

Para o líder da CAP, este não é o momento certo para mexer no salário mínimo ou poderá estar no horizonte um agravamento do desemprego.

O líder da Confederação dos Agricultores Portugueses (CAP) considera que este não é o momento certo para aumentar o salário mínimo nacional, contrariando as intenções do Governo. Em entrevista ao Dinheiro Vivo e à TSF, Eduardo Oliveira Sousa antecipa que qualquer atualização na remuneração mínima garantida será sinónimo do agravamento do desemprego.

“Temos manifestado ao Governo que neste ano não há condições para retomar a negociação sobre a alteração do valor do salário mínimo nacional. Porque é um padrão que se for alterado agora vai de forma imediata criar desemprego”, sublinha o líder da CAP. Oliveira Sousa sublinha, por outro lado, que, neste momento, é possível manter emprego com ajudas às empresas e sem acréscimos no custo do trabalho.

O Governo senta-se à mesa com os sindicatos e com os patrões na próxima quarta-feira para discutir a atualização do salário mínimo para 2021. O Executivo já disse que está aberto a um aumento superior a 23,75 euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Subir salário mínimo “vai de forma imediata criar desemprego”, diz CAP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião