Depois de acordo com BCP, reforma de Jardim Gonçalves desce de 174 mil para 49 mil euros

  • ECO
  • 15 Dezembro 2020

O BCP alcançou um acordo extrajudicial para o corte na pensão de reforma do antigo administrador Jardim Gonçalves.

A pensão de reforma de Jorge Jardim Gonçalves vai sofrer um corte, depois de o BCP ter alcançado um acordo extrajudicial, segundo adianta o Expresso (acesso pago). A reforma do fundador e antigo presidente do banco vai assim passar de 174 mil para 49 mil euros por mês, em termos brutos.

O processo começou quando o banco avançou com o pedido de corte da pensão do seu ex-presidente junto do Tribunal de Sintra. A argumentação para a redução advém do Código das Sociedades Comerciais, onde se estabelece que a reforma dos antigos administradores não deve ultrapassar a remuneração mais alta que aufere um administrador executivo no ativo. Isto depois de serem feitas alterações no Regulamento de Reformas, nomeadamente com cortes de regalias.

Outros antigos administradores do banco já passaram também por situações semelhantes, com as mudanças nas regras das reformas. Filipe Pinhal, Alípio Dias e Paulo Teixeira Pinto são alguns dos que contestaram os cortes nas pensões, mas conseguiram alcançar um acordo com o BCP.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Depois de acordo com BCP, reforma de Jardim Gonçalves desce de 174 mil para 49 mil euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião