Vendas a retalho recuam na Europa em novembro com medidas de confinamento

  • Lusa
  • 7 Janeiro 2021

Vendas no comércio de retalho na Europa sofreram de outubro para novembro uma quebra, devido a novas medidas de confinamento adotadas em vários Estados-membros da União Europeia.

As vendas no comércio de retalho na Europa sofreram de outubro para novembro uma quebra, devido a novas medidas de confinamento adotadas em vários Estados-membros da União Europeia (UE) por causa da pandemia da Covid-19, segundo o Eurostat.

De acordo com o gabinete estatístico da UE, na Zona Euro o volume de vendas no comércio de retalho recuou 6,1% face a outubro e 2,9% na comparação com novembro de 2019.

No conjunto dos 27 Estados-membros, o indicador caiu 5,0% na variação em cadeia e 1,4% na homóloga.

Em novembro, face ao mês anterior, as maiores quebras foram registadas em França (-18,0%), Bélgica (-15,9%) e na Áustria (-9,9%), enquanto as maiores subidas se assinalaram na Holanda (2,6%), Croácia (2,5%) e Alemanha (1,9%).

Na variação homóloga, o volume de vendas no comércio de retalho sofreu as maiores quebras em França (-15,7%), na Eslovénia (-14,2%) e na Bélgica (-11,7%), tendo os principais avanços sido registados na Alemanha (8,8%), Dinamarca (8,7%) e Holanda (6,6%).

Em Portugal, o indicador recuou 4,9% face a novembro de 2019 e 3,3% na comparação com outubro.

A pandemia de Covid-19 provocou pelo menos 1.869.674 mortos resultantes de mais de 86,3 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal morreram 7.377 pessoas dos 446.606 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Inflação anual na Zona Euro mantém-se estável nos -0,3% em dezembro

A inflação anual da Zona Euro deverá fixar-se em -0,3% em dezembro de 2020, estável face a novembro e pelo quarto mês consecutivo, de acordo com uma estimativa rápida divulgada esta quinta-feira pelo Eurostat.

Segundo o gabinete de estatística da União Europeia, entre as principais componentes da inflação da Zona Euro, prevê-se que a alimentação, o álcool e o tabaco apresentem a maior taxa anual em dezembro (1,4%, contra 1,9% em novembro), seguida dos serviços (0,7%, contra 0,6% em novembro), dos bens industriais excluindo energia (-0,5%, contra -0,3% em novembro) e da energia (-6,9%, contra -8,3% em novembro).

Em dezembro de 2019, a taxa de inflação anual da Zona Euro foi de 1,9%.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Vendas a retalho recuam na Europa em novembro com medidas de confinamento

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião