Salvador de Mello passa a CEO do grupo José de Mello. Vasco de Mello será chairman

Há mudanças no grupo que detém os hospitais CUF. Vasco Mello renunciou ao mandato de vogal do Conselho de Administração e Salvador Mello fica como presidente do Conselho de Administração.

O José de Mello Saúde mudou toda a liderança do grupo que detém os hospitais CUF. Salvador Mello deixa de ser CEO da CUF, passando esse cargo a ser ocupado por Rui Diniz, revelou o grupo num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). Com efeitos imediatos, Salvador Mello passa a presidente do Conselho de Administração do grupo, enquanto o irmão Vasco de Mello sobe a chairman.

“Ao nível da Comissão Executiva, Salvador Maria Guimarães José de Mello cessou funções enquanto Presidente da Comissão Executiva, sendo substituído nesse cargo por Rui Alexandre Pires Diniz. Foi nomeado Francisco Pedro Ramos Gonçalves Pereira como membro da Comissão Executiva em substituição do administrador cessante, Vasco Luís José de Mello”, lê-se no comunicado.

Vasco de Mello sai assim da presidência da comissão executiva do grupo José de Mello, mas continua como chairman do grupo que detém o maior operador privado de cuidados de saúde no país. O irmão Pedro de Mello — que é responsável pelo negócio de vinhos Monte da Ravasqueira e o vice-presidente da comissão executiva — passa a ter funções não executivas.

“A alteração da presidência executiva decorre de um processo de sucessão natural, numa altura em que o Grupo José de Mello se encontra preparado para encarar com ambição um novo ciclo de crescimento dos negócios e desenvolvimento de novas oportunidades, dando continuidade a um legado histórico empresarial com mais de 120 anos e reforçando o nosso compromisso de longo prazo de contribuirmos para o futuro de Portugal”, apontou Vasco de Mello, citado em comunicado do grupo.

Foi na reunião do Conselho de Administração, realizada esta segunda-feira que “foi aceite a renúncia de Vasco Luís José de Mello ao mandato de vogal do Conselho de Administração, tendo sido deliberado por unanimidade a cooptação de Francisco Pedro Ramos Gonçalves Pereira, para o cargo de vogal do Conselho de Administração”, indicou a empresa.

A Comissão Executiva contempla então cinco membros: Rui Alexandre Pires Diniz, que é presidente, Inácio António da Ponte Metello de Almeida e Brito; Guilherme Barata Pereira Dias de Magalhães; Catarina Marques da Rocha Gouveia e Francisco Pedro Ramos Gonçalves Pereira.

O grupo fundado em 1898 registou lucros de 72 milhões de euros, em 2019, de acordo com as últimas contas disponíveis. Em plena pandemia, em setembro, inaugurou um novo hospital, a CUF Tejo, com um investimento de 170 milhões de euros, 213 camas de internamento e 14 camas de cuidados intensivos e 113 gabinetes de consulta.

(Notícia atualizada às 16h30)

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Salvador de Mello passa a CEO do grupo José de Mello. Vasco de Mello será chairman

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião