Miranda distinguida com “Firma do Ano” para a África Lusófona

A Miranda & Associados foi eleita a "Lusophone Africa Law Firm of the Year" pela Chambers Africa Awards. Abreu Advogados, PLMJ, Tauil & Chequer Advogados e a VdA concorriam ao prémio.

A sociedade de advogados Miranda & Associados foi distinguida como “Lusophone Africa Law Firm of the Year” pela Chambers Africa Awards. Na categoria estavam ainda nomeadas as firmas Abreu Advogados, PLMJ, Tauil & Chequer Advogados e a Vieira de Almeida.

“É a segunda vez que a Miranda orgulhosamente recebe este prémio, e é o reconhecimento da força e da profundidade da nossa prática em África, onde já acumulamos mais de 30 anos de experiência, sustentada num relacionamento forte com os nossos colegas locais, cujos escritórios ajudamos a desenvolver e crescer. São estes compromissos de longo prazo que em grande medida nos permitem alcançar este tipo de distinção“, notou Diogo Xavier da Cunha, presidente do Conselho de Administração da Miranda.

Para o advogado, apesar dos desafios que a pandemia trouxe, a Miranda nunca deixou de apoiar os clientes, sempre com “os mais altos padrões a que sempre nos propusemos”. “Este reconhecimento não é exclusivamente da Miranda, sendo também dirigido às Firmas da Miranda Alliance em toda a África Lusófona. Sem a ajuda dos nossos Colegas baseados nos diferentes países seria impossível alcançar este nível de reconhecimento”, acrescenta.

Este prémio é o resultado das pesquisas e avaliações realizadas pelo guia internacional Chambers Global e envolve mais de 200 jurisdições e 170 pesquisadores. “Este reconhecimento retrata a notabilidade do trabalho desenvolvido pela sociedade nos últimos 12 meses, designadamente em matéria de consolidação e crescimento da prática, relevância e complexidade das operações em que esteve envolvida e excelência no atendimento ao cliente”, refere a firma em comunicado.

A premiação anunciou o vencedor afirmando que a Miranda & Associados possui uma “excelente reputação” em toda a África Lusófona, beneficiando de associações com líderes de mercado no terreno.

“A Miranda & Associados oferece aos seus clientes uma vasta experiência na região, tendo atuado junto de muitas empresas no setor da energia e recursos naturais de primeira linha, órgãos governamentais em desenvolvimentos e importantes transações. Os entrevistados veem a equipa da Miranda como ‘a mais proeminente em Angola’, elogiando ainda mais o grupo como ‘pioneiros em Moçambique’”, sublinha a Chambers.

Para a vencedora, o prémio honra e motiva toda a equipa da sociedade de advogados de forma a “continuar a percorrer o caminho de excelência e inovação que traçou desde a sua fundação, reforçando o reconhecimento da vitalidade da prática da Miranda em África e refletindo o compromisso de longa data da firma para com o desenvolvimento e crescimento do continente africano”.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Miranda distinguida com “Firma do Ano” para a África Lusófona

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião