Após isolamento de Leão e Siza, CCP apela à vacinação de governantes

O ministro das Finanças está infetado com Covid-19 e o ministro da Economia em isolamento profilático. Além do Governo, CCP pede a vacinação do Presidente da República e Presidente da AR.

A Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP) considera que os titulares de órgãos de soberania devem ser urgentemente vacinados contra a Covid-19. O apelo é feito numa altura em que o ministro das Finanças João Leão está infetado com Covid-19 e o ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital Pedro Siza Vieira está em isolamento profilático.

“Por muito respeito que possam merecer os critérios técnicos para a definição das pessoas abrangidas em cada fase de vacinação, outros valores têm que ser equacionados em simultâneo, nomeadamente o a estabilidade e o regular funcionamento das instituições do Estado e, não deixar que algum populismo possa conduzir ao adiamento de uma decisão que consideramos urgente, até do ponto de vista da imagem que se quer deixar destes seis meses de Presidência Portuguesa da UE”, diz a CCP em comunicado.

A confederação que representa o comércio e os serviços aponta a gravidade da situação atual, mas também o facto de Portugal ter acabado de assumir a Presidência da União Europeia. No grupo que a CCP considera que devem ser vacinados “com a maior brevidade” incluem-se o Presidente da República, os membros do Governo, o Presidente da Assembleia da República, e os principais responsáveis das forças de segurança.

Praticamente todos os dias, o país é confrontado com a notícia de que o Presidente da República ou um membro do Governo está ou pode estar infetado com Covid-19, de que são exemplos mais recentes, os Ministros de Estado das Finanças e da Economia e Transição Digital, obrigando ao inerente isolamento, não só dos próprios como de muitos colaboradores, já para não dizer que, uma vez mais, também membros da Comissão Europeia ficam obrigados a isolamento por contactos com dirigentes portugueses”, critica.

Este sábado, o Governo anunciou que o ministro das Finanças João Leão está infetado com Covid-19, mas assintomático e a trabalhar. Como o governante tinha participado em reuniões de trabalho com a presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, e o colégio de comissários que se deslocou a Lisboa, três elementos que estiveram na visita tiveram de ficar isolados: os Vice-Presidentes Executivos Margrethe Vestager e Valdis Dombrovskis, assim como a comissária Elisa Ferreira. O mesmo aconteceu com o ministro Pedro Siza Vieira.

Já o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, encontra-se em vigilância passiva desde a semana passada, por ter tido contactos considerados de baixo risco com dois infetados com o novo coronavírus. Chegou a ter um teste positivo, mas que foi negado por uma série de outros testes negativos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Após isolamento de Leão e Siza, CCP apela à vacinação de governantes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião