EDP Renováveis entra na Hungria com projeto solar de 50 MW

O início de operações arranca no próximo ano e o contrato tem a duração de quinze anos.

A EDP Renováveis assegurou um contrato a 15 anos para vender a energia produzida por um projeto solar fotovoltaico na Hungria que totaliza 50 MW. O início de operações arranca no próximo ano, anunciou a empresa num comunicado enviado esta sexta-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

“Com este projeto, a EDPR aumenta a sua presença global ao entrar num novo mercado com um desenvolvimento sustentável das suas fontes de Energia Renovável”, explica a empresa liderada por Miguel Stilwel, em comunicado.

A Hungria espera aumentar a sua capacidade solar fotovoltaica para 6,5 GW até 2030, maioritariamente através de um quadro regulatório à base de leilões. Com este contrato, a Hungria passa a ser o 15.º mercado onde a empresa está presente.

A EDPR acrescenta ainda que continua a “estudar oportunidades globais ao mesmo tempo que desenvolve projetos rentáveis focados em países com perfis de baixo risco e estabilidade regulamentar”.

EDP Comercial reforça operação em Itália com aquisição de empresa de energia solar

A EDP Comercial, empresa do grupo EDP dedicada à comercialização de energia, reforçou a presença em Itália com a aquisição da Enertel, que fornece soluções de autoconsumo de energia solar descentralizada, sem divulgar o montante investido.

A EDP Comercial entrou no mercado italiano no final de 2019, com os primeiros contratos de fornecimento de energia, tendo entretanto apostado no negócio da energia solar descentralizada a clientes empresariais, isto é, a instalação e gestão de painéis fotovoltaicos para a produção e consumo da sua própria eletricidade.

A empresa adquirida, com sede em Verona, registou um volume de vendas de nove milhões de euros em 2020 e opera no segmento de pequenas e médias empresas (PME), que é também o foco da expansão internacional da EDP Comercial, adiantou à agência Lusa a presidente executiva, Vera Pinto Pereira.

Com a aquisição da Enertel, a EDP Comercial espera “alcançar uma quota de 7% em Itália” no negócio da energia solar descentralizada, avançou a responsável.

O negócio, precisou, dá “acesso a uma força de vendas local com cerca de 40 agentes e uma equipa que, desde 2018, foi responsável pela venda de mais de 350 projetos de energia solar descentralizada”.

Mais do que ser um comercializador de eletricidade, em Itália, à semelhança da Polónia, país onde entrou também em 2019, a EDP Comercial pretende crescer na geração e gestão de produção solar por clientes empresariais.

“Estamos a viver um momento em que foram definidas metas hiper ambiciosas por parte dos governos e da União Europeia em relação à transição energética. Vivemos a década decisiva. Atingir as metas propostas passa necessariamente pela geração solar descentralizada. Há um trabalho muito importante a ser feito que extravasa aquilo que é a geração solar a partir de parques centralizados, como temos os parques eólicos”, argumentou Vera Pinto Pereira.

“A aquisição da Enertel constitui um passo relevante para o nosso crescimento neste mercado estratégico ao juntar as nossas competências com a capacidade instalada e assim conseguir acelerar o nosso plano de crescimento no mercado italiano”, destacou a presidente executiva da EDP Comercial.

(Notícia atualizada às 08H20 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

EDP Renováveis entra na Hungria com projeto solar de 50 MW

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião