Roland Berger prevê crescimento do malparado entre 14 e 21 mil milhões

  • ECO
  • 12 Fevereiro 2021

A consultora Roland Berger estima que 30% a 45% do stock de crédito em moratória se transforme em malparado, o que resultaria num aumento do rácio de NPL.

A Roland Berger aponta o elevado peso das moratórias no crédito total como um fator de risco do sistema bancário português, avança esta sexta-feira o Jornal Económico (acesso pago). Num estudo, a consultora indica que há a expectativa de conversão de 14 a 21 mil milhões de euros em incumprimento.

A concretizar-se essa projeção, entre 30% e 45% do stock de crédito em moratório transformar-se-ia em malparado “no término do período”. Tal seria sinónimo de um aumento do rácio de NPL (non-performing loans) entre cinco e sete pontos percentuais para 10% a 12%, longe das metas europeias pré-pandemia.

De notar que as moratórias representam atualmente 22% do total do crédito do sistema português, a terceira maior proporção a nível europeu. Esta semana, a Moody’s adiantou que estima que, em Portugal, o rácio de NPL suba para 9% este ano, face a 5,5% em 2020, estando preocupada com o impacto que o fim das moratórias possa ter na qualidade dos ativos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Roland Berger prevê crescimento do malparado entre 14 e 21 mil milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião