Investigadores americanos pedem que se adie toma da segunda dose da vacina da Pfizer

  • ECO
  • 18 Fevereiro 2021

Segundo os investigadores, a administração da segunda dose um mês após a primeira proporciona "pouco benefício adicional a curto prazo".

Danuta Skowronski e Gaston De Serres estão a pedir aos governos para adiarem a administração da segunda dose da vacina contra a Covid-19 da Pfizer, isto porque a primeira toma revela uma eficácia de 92,6%, segundo os documentos da Pfizer enviados ao regulador americano do medicamento, a FDA.

O mesmo acontece, segundo os dois investigadores, com a vacina da Moderna, mas com uma eficácia ligeiramente mais baixa (92,1%). A carta dos investigadores foi publicada no New England Journal of Medicine.

Não recomendam a toma de dose única devido à falta de dados, mas dizem que a administração da segunda dose um mês após a primeira proporciona “pouco benefício adicional a curto prazo”.

“Dada a atual escassez de vacinas, o adiamento da segunda dose é uma questão de segurança nacional que, se ignorada, resultará certamente em milhares de hospitalizações e mortes relacionadas com a Covid-19 este Inverno nos Estados Unidos”, alertaram.

Em resposta, a Pfizer disse que os regimes de dosagem alternativos da sua vacina ainda não tinham sido avaliados e que a decisão de o fazer cabe às autoridades sanitárias.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Investigadores americanos pedem que se adie toma da segunda dose da vacina da Pfizer

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião