Deutsche Post DHL investe 7 mil milhões até 2030 para reduzir emissões de CO2

Investimento até 2030 será em combustíveis alternativos para a aviação, na expansão da frota de veículos elétricos com emissões zero e em edifícios neutros em emissões de carbono.

O Grupo Deutsche Post DHL anunciou que vai investir um total de sete mil milhões de euros nos próximos dez anos, em medidas para reduzir as suas emissões de CO2, apostando em combustíveis alternativos para a aviação, na expansão da frota de veículos elétricos com emissões zero e em edifícios neutros em emissões de carbono.

Em 2017 a empresa comprometeu-se com o objetivo de ter emissões zero até 2050, mas entretanto já traçou também metas intermédias até 2030 com base na iniciativa ‘Science Based Target’ (SBTi): introduzir soluções logísticas neutras para o clima, com vista a reduzir as emissões anuais de CO2 do Grupo para menos de 29 milhões de toneladas métricas até ao final da década, apesar do “forte crescimento contínuo previsto nas atividades logísticas globais”.

Em 2020, as emissões rondaram as 33 milhões de toneladas métricas e a empresa estimava que chegassem às 46 milhões de toneladas em 2030 sem as medidas do novo plano de sustentabilidade.

“Enquanto a maior empresa de logística do mundo, é nossa responsabilidade liderar o caminho e
orientar a indústria logística para um futuro sustentável”, disse Frank Appel, CEO do Grupo Deutsche Post DHL, acrescentando: “A COVID-19 reforçou as principais tendências do nosso tempo: globalização, digitalização, comércio eletrónico e sustentabilidade – os quatro motores da nossa ‘Estratégia 2025′. Entre estes temas, a sustentabilidade é o desafio mais urgente”.

Para distâncias curtas e entregas ao consumidor, o Grupo continua a impulsionar a eletrificação de sua frota de veículos. Até 2030, 60% dos veículos de entrega ao consumidor serão movidos a eletricidade, pelo que haverá mais de 80.000 veículos elétricos na estrada. Em 2020, esse número era de apenas 18%.

Em rotas mais longas, especialmente no transporte aéreo, a Deutsche Post DHL está a impulsionar o desenvolvimento e a utilização de combustíveis produzidos a partir de energias renováveis: até 2030, pelo menos 30% das necessidades de combustível para a aviação serão cobertas por combustíveis sustentáveis.

Além disso, o Grupo está a investir em imóveis amigos do ambiente (escritórios, centros de correio e encomendas e armazéns logísticos): todos os novos edifícios em construção serão neutros do ponto de vista carbónico.

“As alternativas limpas e sustentáveis de combustível são essenciais para uma logística neutra, do ponto de vista climático, num mundo globalizado. No transporte aéreo, em particular, poderiam ajudar a reduzir as emissões de CO2. É por isso que vamos participar ainda mais intensamente em iniciativas, reforçar o intercâmbio entre indústrias e desenvolver uma estratégia e normas globais”, salientou Frank Appel.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Deutsche Post DHL investe 7 mil milhões até 2030 para reduzir emissões de CO2

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião