“Se continuarmos a adiar, não vamos ter reforma da PAC”, alerta ministra da agricultura 

  • ECO
  • 7 Abril 2021

Maria do Céu Antunes acredita que reforma da Política Agrícola Comum estará concluída até final de maio. Ministra admite que negociações ainda podem falhar, mas “não será por falta de empenho", diz.

A ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, acredita que a reforma da Política Agrícola Comum (PAC) vai mesmo ser concluída até ao final de maio, durante a presidência portuguesa do Conselho da União Europeia (UE), avançou em entrevista ao Jornal de Negócios (acesso pago).

A responsável assume que as negociações ainda podem falhar, mas “não será por falta de empenho” da presidência portuguesa. Maria do Céu Antunes destaca que caberá às instituições europeias assumir a derrota. “Estamos a apostar tudo nesta prioridade”, diz a ministra da Agricultura, que desde janeiro conduziu mais de 50 reuniões, técnicas e políticas de forma a cumprir o objetivo final.

“Passámos essa mensagem ao Conselho, à Comissão e ao Parlamento. Tem de haver uma corresponsabilização. As três instituições sabem que não acabar a reforma da PAC neste semestre vai comprometer seriamente a possibilidade de ela ser implementada a partir de janeiro de 2023”, explica Maria do Céu Antunes.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

“Se continuarmos a adiar, não vamos ter reforma da PAC”, alerta ministra da agricultura 

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião