Governo confirma que Beja avança no desconfinamento. Só seis concelhos páram e quatro recuam

Na quinta-feira, António Costa anunciou que o município de Beja era um dos municípios que registava uma incidência superior a 120 casos por 100 mil habitantes. DGS veio agora corrigir essa indicação.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) veio esta sexta-feira esclarecer que, ao contrário do que tinha sido indicado pelo primeiro-ministro após o Conselho de Ministros de quinta-feira, Beja não estava, entre os dias 31 de março e 13 de abril, no grupo dos concelhos com uma incidência de Covid-19 superior a 120 casos por 100 mil habitantes. Registou apenas 107 casos e, tal como avançou ao ECO o Ministério da Saúde, o concelho vai assim avançar para a terceira fase do desconfinamento na segunda-feira.

O comunicado divulgado na manhã desta sexta-feira esclarece que a DGS “procedeu a uma retificação da incidência cumulativa de Covid-19 a 14 dias por 100 mil habitantes, no concelho de Beja. A mesma nota esclarece ainda que a incidência cumulativa no município foi, assim, de “107 casos por 100 mil habitantes”, “para o período de 31 de março a 13 de abril de 2021”.

Tendo sido indicado como um dos concelhos que manteve, nesse período, a incidência superior a 120 casos pela mesma porção da população registada nas duas semanas anteriores, Beja ficaria assim impedida de avançar para a terceira fase do desconfinamento, que irá arrancar já esta segunda-feira. Estaria assim, por exemplo, impedida de proceder à abertura de salas de espetáculo, teatros e cinemas, bem como de passar a permitir a permanência de consumidores dentro dos estabelecimentos da restauração.

Porém, após ser contactado pelo ECO, o Ministério da Saúde esclareceu que, face à real incidência registada em Beja, o concelho reúne as condições para avançar para a terceira fase do desconfinamento, possibilitando-se a reabertura de todas as lojas e centros comerciais, a retoma das modalidades desportivas de médio risco e da atividade física ao ar livre (até um máximo de seis pessoas).

Ao Jornal de Notícias, o presidente da câmara de Beja, Paulo Arsénio, esclarece ainda que no decreto onde irão constar todos os concelhos cujo nível de risco não permite que acompanhem o resto do país no desconfinamento previsto, que será divulgado esta sexta-feira, “Beja já estará excluída do grupo dos sete” municípios que ficarão “estagnados” na fase dois.

Para além dos quatro concelhos (Moura, Odemira, Portimão e Rio Maior) que serão obrigados a recuar para a fase anterior do plano de desconfinamento, após esta correção serão apenas seis os concelhos a manterem-se neste segundo patamar. São eles o Alandroal, Albufeira, Carregal do Sal, Figueira da Foz, Marinha Grande e Penela.

Relembre-se ainda que, independentemente do nível de risco do concelho, a retoma das atividades letivas presenciais para alunos do ensino secundário e superior, neste último caso com as universidades a terem autonomia para tomarem a decisão, é algo que se verificará em todo o país já a partir de segunda-feira.

(Notícia atualizada às 11h19 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Governo confirma que Beja avança no desconfinamento. Só seis concelhos páram e quatro recuam

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião