Plano de reestruturação da TAP não terá de ser revisto, diz Ramiro Sequeira

  • ECO
  • 16 Abril 2021

CEO interino da TAP espera ter o processo concluído ainda em maio. Pandemia é maior ameaça, mas considera que a empresa está pronto para a concorrência no pós-Covid.

Ramiro Sequeira, CEO interino da TAP, disse, em entrevista ao Expresso (acesso pago), que a companhia não terá de rever o plano de reestruturação, mesmo com a retoma aquém do esperado, aguardando uma resposta de Bruxelas ainda em maio. “Esperamos que o processo esteja terminado em maio. Não há nada que faça levantar a bandeira do alerta ou que as coisas não corram como previsto, mas a palavra final é da DG Comp (Direção-Geral da Concorrência europeia).”

Ramiro diz que a pandemia é a maior ameaça da TAP. Relembrando que, atualmente, ainda não pode voar para dois dos seus principais mercados (EUA e Brasil), não considera que a companhia seja substituída por outras. Reconheceu que a competição pós-pandemia será forte, mas “a TAP estará preparada para concorrer“.

O CEO interino garante que não é Pedro Nuno Santos, o ministro das Infraestruturas, que toma as decisões na companhia aérea: “Não é o ministro que gere a empresa, o ministro representa o acionista maioritário. (…) É normal que o ministro tenha interações com a TAP, mas a TAP tem uma administração e uma comissão executiva que tomam as decisões”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Plano de reestruturação da TAP não terá de ser revisto, diz Ramiro Sequeira

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião