86% dos leitores do ECO não querem a nova Superliga Europeia

  • Tiago Lopes
  • 21 Abril 2021

O anúncio da Superliga Europeia deu origem a uma intensa discussão em vários espetros da sociedade. Para os leitores do ECO também não restam dúvidas em relação à criação desta nova competição.

A polémica começou no último domingo depois de um conjunto 12 clubes anunciarem, à revelia da UEFA e da FIFA, que pretendiam avançar com uma nova competição de futebol denominada Superliga Europeia.

De acordo com um comunicado do Real Madrid, que se apresenta como líder do projeto, a nova competição pode gerar valores muitos superiores aos montantes atualmente envolvidos na Liga dos Campeões. A UEFA reagiu de imediato e ameaçou excluir todos os clubes que participarem na nova competição.

“Tal como já foi anunciado pela UEFA e por aqueles seis organismos, informamos que os clubes envolvidos serão impedidos de disputar qualquer outra competição, a nível nacional, europeu e mundial e os seus jogadores não poderão representar as respetivas seleções nacionais”, informou a UEFA, em comunicado, considerando ainda que este é um “projeto cínico, que é fundado no egoísmo de alguns clubes, numa altura em que a sociedade precisa mais do que nunca de solidariedade”.

No entanto, não foi só a FIFA e a UEFA que criticarem duramente a criação da Superliga Europeia. Boris Johnson, Emmanuel Macron ou António Costa foram alguns dos nomes que vieram manifestar o seu descontentamento com a criação desta nova competição.

O primeiro-ministro português recorreu ao Twitter para dizer que a proposta da criação desta competição “tem de ser recusada sem nenhuma hesitação”. Para António Costa “os princípios da solidariedade, da valorização do resultado desportivo e do mérito não podem estar à venda.”

Depois desta autêntica avalanche de críticas, que também chegou aos adeptos dos vários clubes envolvidos mas não só, o núcleo restrito inicial de 12 clubes fundadores começou a registar as primeiras baixas. Em apenas dois dias, seis clubes ingleses decidiram afastar-se desta competição e alguns deles chegaram mesmo a pedir desculpa aos adeptos. E, já esta quarta-feira, Atlético de Madrid, Inter de Milão e AC Milan também deram a conhecer que vão sair do lote dos 12 escolhidos.

Atualmente, as únicas equipas que ainda fazem parte da lista inicial são o Real Madrid, FC Barcelona e Juventus.

O ECO questionou os seus leitores sobre a sua opinião em relação à criação desta nova competição e, à semelhança das muitas críticas verificadas em vários espetros da sociedade, o resultado também foi esclarecedor. Num total de 1.200 votos, 86% dos leitores consideram que a Superliga Europeia não deve avançar, enquanto 14% responderam de forma afirmativa.

 

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

86% dos leitores do ECO não querem a nova Superliga Europeia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião