Portugal é o segundo país da Europa com o gás mais caro e o quarto na luz

Em média, as famílias portuguesas pagaram 23,7 euros por 100 kWh de eletricidade em 2020. Considerando apenas este valor, a fatura nacional cai para a décima mais cara entre os europeus.

À semelhança do que aconteceu em 2019, Portugal teve no segundo semestre de 2020 a quarta eletricidade mais cara da União Europeia para consumo doméstico, em termos de poder de compra das famílias (por MWh), a seguir à República Checa, Espanha e Alemanha. Os dados são do último boletim do Eurostat, divulgado esta segunda-feira.

Já no gás natural, Portugal surge na tabela no Eurostat com o segundo preço de gás mais caro da Europa, depois da Holanda, tendo em conta a paridade do poder de compra por Gigajoules. O gabinete de estatísticas de Bruxelas fez as contas à fatura da luz ajustando os preços a uma fórmula que elimina as diferenças entre os países (paridade de poder de compra).

Em média, as famílias portuguesas pagaram 23,7 euros por 100 kWh de eletricidade em 2020. Considerando apenas este valor, a fatura nacional cai para a décima mais cara entre os europeus. Expressos em euros, os preços médios da eletricidade doméstica no segundo semestre de 2020 foram os mais baixos na Bulgária (9,8 euros por 100 kWh), Hungria (10,1€) e Estónia (12,9€) e os mais elevados na Alemanha (30,1€), Dinamarca (28,2€) e Bélgica (27€)

No entanto, por comparação com igual período de 2019, é possível constatar, diz o Eurostat, que os preços da eletricidade baixaram em Portugal (daí a queda da 8ª para 10ª luz mais cara), enquanto os preços do gás subiram: Portugal tinha o quarto preço mais caro e tem agora o segundo. Explica o Eurostat que tanto o aumento de impostos como o custo da energia afetou o preço do gás em Portugal, provocando a sua subida.

De acordo com o Eurostat, no 2º semestre de 2020 os preços médios da eletricidade para as famílias na União Europeia (UE) diminuíram ligeiramente, face ao período homólogo, para os 21,3 euros por 100 kWh (por comparação com 21,7 euros por 100 kWh em 2019). Os preços médios do gás na UE também diminuíram ligeiramente, situando-se nos 7 euros por 100 kWh no segundo semestre de 2020.

Expressos em euros, os preços médios do gás doméstico no segundo semestre de 2020 foram os mais baixos na Letónia (2,8 euros por 100 kWh), Lituânia (3€) e Hungria (3,1€) e os mais altos na Holanda (10,1€), Itália (9€) e Espanha (8,9€). Em Portugal este valor fixou-se nos 7,8 euros, o quinto mais caro da UE.

Na luz, os impostos e taxas representaram 40% das faturas cobradas às famílias, enquanto no gás essa percentagem foi de 32%.

Os números mostram que os preços da eletricidade caíram em 14 Estados-Membros da UE. As maiores reduções foram observadas nos Países Baixos (-33,8%), seguidos por Chipre (-24,1%) e Suécia (-17,2%). Em contrapartida, o maior aumento foi registado no Luxemburgo (+ 10,3%), à frente da Polónia (+ 9,7%) e da Eslováquia (+ 8,8%). O custo da energia foi o principal fator para esses aumentos.

os preços do gás caíram em 21 dos 24 Estados-Membros da UE que comunicam os preços do gás natural no setor doméstico. As maiores reduções foram observadas na Lituânia (-27,3%) seguida pela Bulgária (-21,2%) e Letónia (-20,2%).

Em contrapartida, o maior aumento foi registado na Alemanha (+ 5,4%), à frente dos Países Baixos (+ 4,7%) e Portugal (+ 0,9%). Os aumentos de impostos afetaram principalmente o aumento na Holanda. O custo da energia foi o principal fator para os aumentos na Alemanha. Ambas as componentes influenciaram o aumento em Portugal.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Portugal é o segundo país da Europa com o gás mais caro e o quarto na luz

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião