Confiança dos consumidores voltou a “aumentar significativamente” em abril. Está quase a recuperar da pandemia

O indicador de clima económico "aumentou de forma expressiva em março e abril", chegando aos níveis registados no início da pandemia.

A confiança dos consumidores voltou a dar um salto em abril, de novo aumentando “significativamente”, segundo os dados revelados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) esta quinta-feira. Este indicador está próximo do nível verificado em março do ano passado, ou seja, quase a recuperar da pandemia.

A evolução do indicador neste mês “resultou sobretudo do contributo positivo das expectativas relativas à evolução futura da situação económica do país, tendo as expectativas relativas à evolução futura da realização de compras importantes e da situação financeira do agregado familiar também contribuído positivamente”, nota o INE.

Isto levou a que o saldo das expectativas relativas à evolução futura da situação económica do país tenha aumentado “expressivamente em março e abril, após ter diminuído no mês anterior”. Já as opiniões sobre a evolução passada da situação financeira do agregado familiar “registaram um contributo nulo” para o indicador.

Os Inquéritos de Conjuntura às Empresas e aos Consumidores mostram ainda que o indicador de clima económico “aumentou de forma expressiva em março e abril, superando ligeiramente o nível observado no início da pandemia”.

Quanto aos indicadores setoriais, na Indústria Transformadora, na Construção e Obras Públicas, no Comércio e nos Serviços verificou-se um aumento da confiança. Para estas subidas contribuíram fatores como as opiniões sobre a evolução da procura, as perspetivas de atividade das empresas e apreciações sobre a evolução da carteira de encomendas.

O INE sublinha que a “melhoria dos indicadores de confiança e de clima em março e abril ocorreu num contexto de abrandamento significativo dos efeitos sobre a saúde pública da pandemia Covid-19 face ao observado nos meses anteriores”. De facto, os indicadores da pandemia têm vindo a melhorar, o que permitiu o desenrolar do plano de desconfinamento nas datas previstas (exceto para alguns concelhos com maior incidência).

Sentimento económico com forte recuperação na União Europeia

Também na Zona Euro e na União Europeia o sentimento económico melhorou significativamente em abril, ficando acima da média de longo prazo e do nível pré-pandemia, o que acontece pela primeira vez desde que a Covid-19 assolou a Europa, de acordo com os dados da Comissão Europeias citados pela Lusa.

O indicador do sentimento económico cresceu, em abril, nas seis maiores economias da UE, com o maior aumento a ser registado na Polónia (11,3 pontos), seguido pela Holanda (10,7), Espanha (9,1), França (8,5), Alemanha (5,7) e Itália (5,3), tendo ficado, em todos, acima da média a longo prazo de 100 pontos, de acordo com a agência.

O indicador de expectativas de emprego também registou um aumento significativo, ficando também acima da média de longo prazo e do nível pré-pandemia.

(Notícia atualizada às 10h25 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Confiança dos consumidores voltou a “aumentar significativamente” em abril. Está quase a recuperar da pandemia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião