BCP valoriza mais de 500 milhões na maior série de ganhos desde 2018

Lisboa liderou os ganhos nas praças europeias. BCP "brilha" antes de apresentar resultados, ao disparar 3%. Soma 28,47% após nove sessões em alta, naquele que é o maior ciclo de ganhos desde 2018.

Lisboa terminou a sessão em alta, num dia misto nas praças europeias. A praça portuguesa destacou-se das congéneres à boleia da forte valorização do BCP, que vive o maior ciclo de ganhos desde 2018.

Enquanto na Europa, o Stoxx 600 fechou o dia praticamente inalterado, o britânico FTSE 100 desvalorizou 0,1% a par com o alemão DAX, já o francês CAC-40 cedeu 0,2%. Em contrapartida, o espanhol IBEX-35 somou 0,1%.

Lisboa liderou os ganhos nas praças do Velho Continente, com o PSI-20 a somar 0,89% para os 5.241.910 pontos, à boleia dos ganhos do BCP, minutos antes de o banco comunicar os resultados relativos aos primeiros três meses do ano. Após o fecho do mercado, o BCP revelou

As ações da instituição financeira subiram 3,09% para 16,02 cêntimos, o valor mais elevado desde 28 de fevereiro do ano passado, valorizando pela 9.ª sessão consecutiva — o maior ciclo de ganhos desde julho de 2018. Desde a sessão de 5 de maio que o banco é um dos destaques da bolsa portuguesa, acumulando uma valorização de 28,47% neste período.

Esta forte valorização dos títulos do banco catapultou o valor de mercado da instituição. Em menos de duas semanas, a capitalização bolsista do BCP deu um salto de 536,5 milhões de euros. Está a valer, agora, 2,42 mil milhões de euros.

BCP dispara em bolsa

Ainda entre os “pesos pesados” da praça nacional, a Nos valorizou 3,84% para 3,192 euros, naquela que foi a maior valorização percentual da empresa de telecomunicações desde 11 de março, quando disparou 5,84%.

Ao mesmo tempo, os títulos da Galp Energia subiram 0,48% para 10,38 euros por ação. A petrolífera portuguesa beneficiou das cotações de petróleo nos mercados internacionais. O Brent, de referência europeia, avança 0,63% para os 69,34 dólares, ao passo que o WTI está a ganhar 1,07% para os 66,08 dólares, em Nova Iorque.

Nota positiva ainda para as cotadas ligadas ao setor da pasta e do papel. A Altri somou 2,30% para 6,67 euros, enquanto a Navigator ganhou 2,09% para 3,22 euros. Menos expressivas foram as valorizações da Semapa, cujos títulos subiram 0,50% para 12 euros.

Em contraciclo e a evitar um ganho mais expressivo do índice de referência nacional estive o grupo EDP. A empresa liderada por Miguel Stilwell recuou 0,20% para 4,5510 euros, enquanto a EDP Renováveis cedeu 0,60% para 18,20 euros.

(Notícia atualizada às 17h06)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

BCP valoriza mais de 500 milhões na maior série de ganhos desde 2018

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião