Trabalhadores da Groundforce já receberam totalidade dos salários

Generalidade da equipa recebeu a remuneração de maio em duas partes. Administradores e diretores só começaram a ser pagos após os restantes trabalhadores já terem recebido a totalidade do ordenado.

Os trabalhadores da Groundforce já receberam a totalidade dos salários. A empresa de handling tinha anunciado que só iria pagar, na data prevista, 85% das remunerações, apontando até dia 10 de junho para o pagamento do restante valor. No entanto, a Comissão de Trabalhadores (CT) confirmou ao ECO que os 15% que faltavam começaram, na passada sexta-feira, a chegar às contas dos funcionários.

A retoma da atividade da aviação desde abril permitiu à Groundforce pagar a maior parte dos salários de maio nos últimos dias do mês. Ficou, ainda assim, um buraco de 280 mil euros, valor esse que a gestão da empresa explicou só ser possível entregar mais tarde. A informação prestada aos trabalhadores é que o restante pagamento seria feito, no máximo, até quinta-feira, o que acabou por acontecer quase uma semana antes.

Ao contrário da restante equipa que recebeu em duas partes, administradores e diretores só começaram a ser pagos após os restantes colaboradores já terem recebido a totalidade do ordenado.

Devido ao impacto da pandemia na atividade da empresa, a Groundforce entrou em rutura de tesouraria no início do ano, levando a que os salários de março tenham sido pagos com atraso. Na altura, o que desbloqueou 7 milhões de euros para regularizar a situação com os 2.400 trabalhadores foi um acordo de venda e aluguer de equipamentos à TAP.

Mas a empresa detida em 50,1% pela Pasogal de Alfredo Casimiro e em 49,9% pela TAP considerou, de forma unilateral, que estes contratos são inválidos e falhou o primeiro pagamento. Essa foi, aliás, uma das razões para a companhia aérea ter pedido a insolvência da Groundforce.

Casimiro tem defendido que o pedido de insolvência agravou a situação da empresa, mas, apesar disso, espera que a retoma da atividade se mantenha. Aos trabalhadores, disse que será possível pagar salários, impostos e alguns fornecedores a partir do fim de junho. Neste mês a empresa de handling espera também regularizar pagamentos em atraso aos trabalhadores referentes a feriados de abril.

Devido à situação financeira, Alfredo Casimiro está a tentar vender a empresa. Anunciou que contratou o Nomura para assessorar um eventual negócio de venda da sua participação e explicou que deu “instruções” para que seja dada “especial atenção” à operadora belga Aviapartner. Além desta, há ainda a possibilidade de a TAP reforçar a sua posição, caso a insolvência avance e a companhia aérea peça a conversão dos créditos em capital, como já sinalizou pretender.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Trabalhadores da Groundforce já receberam totalidade dos salários

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião