Na mesa do recrutador: Teresa Gândara, diretora de capital humano da Noesispremium

"O grande desafio é sermos atrativos para que as pessoas queiram vir trabalhar connosco”, considera Teresa Gândara.

O setor da tecnologia enfrenta um gigante problema de falta de talento em número suficiente. Com a procura a superar a oferta, os profissionais no mercado são aliciados quase diariamente com novas propostas. Para TeresaGândara, diretora de capital humano da Noesis, “o grande desafio é sermos atrativos para que as pessoas queiram vir trabalhar connosco”. Mas, nem depois de atrair, o trabalho se torna mais fácil. Uma vez dentro da empresa, é preciso reter o talento. “Garantir que [as pessoas] estão motivadas, que se continuam a desenvolver e que estão alinhadas com aquilo que é a cultura da empresa”, afirma a líder de gestão de pessoas da consultora tecnológica. Há 13 anos na Noesis e com um percurso de 30 anos nas áreas das tecnologias da informação, Teresa Gândara começou como

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos