Garrigues, Cuatrecasas e Uría Menéndez-Proença de Carvalho no ranking das firmas que mais faturaram na Europa

Segundo a revista britânica The Lawyer, a Garrigues foi a firma de advogados que mais faturou da Europa continental, com 386,9 milhões. Cuatrecasas e Uría Menéndez-Proença de Carvalho no top 10.

A revista britânica The Lawyer analisou as receitas das sociedades de advogados e elaborou um ranking das que mais faturaram na Europa continental. Entre as 10 destacadas existem três a operar em Portugal: Cuatrecasas, Garrigues e Uría Menéndez-Proença de Carvalho.

O primeiro lugar do ranking é ocupado pela Garrigues com 386,9 milhões de euros, seguida da Loyens & Loeff com uma faturação a ascender os 344 milhões e da Cuatrecasas, em terceiro lugar, com 315,3 milhões. A Uría Menéndez – Proença de Carvalho faturou 249 milhões de euros.

Segundo a revista britânica, que analisou os resultados ao longo dos últimos 10 anos, o crescimento tem sido generalizado entre as firmas, havendo oscilações nos lugares que ocupam no ranking. Apesar de o volume de negócios ter sido flat em 2020, a Cuatrecasas ocupa a sua melhor posição no ranking, como resultado dos vários anos de crescimento.

O The Lawyer revelou ainda que as firmas ibéricas, Cuatrecasas, Garrigues e Uría Menéndez – Proença de Carvalho, foram as que mais crescerem geograficamente.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Garrigues, Cuatrecasas e Uría Menéndez-Proença de Carvalho no ranking das firmas que mais faturaram na Europa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião