Apesar da pandemia, portugueses reembolsaram 4,2 mil milhões em crédito da casa antes do prazo

Pandemia atirou muitas famílias para as moratórias, mas houve quem tivesse conseguido liquidar o crédito da casa aos bancos antes do tempo. Reembolsos antecipados atingiram 4,2 mil milhões em 2020.

No ano da pandemia, que atirou muitas famílias para as moratórias bancárias, houve quem tivesse capacidade para liquidar os créditos da casa ao banco antes do tempo. Dados do Banco de Portugal mostram que o montante dos reembolsos antecipados totais ou parciais caiu em 2020 por causa da crise pandémica, tendo atingido, ainda assim, os 4,2 mil milhões de euros.

De acordo com o Relatório de Acompanhamento dos Mercados Bancários de Retalho de 2020, ao todo, foram realizados 98.330 reembolsos antecipados totais ou parciais em contratos de crédito à habitação, o que traduz uma redução de 5,8% em relação a 2019.

“Estes reembolsos envolveram um capital amortizado de 4,2 mil milhões de euros (menos 13,4% face a 2019), correspondendo a cerca de 4,7% do saldo em dívida da carteira a 31 de dezembro de 2020”, acrescenta o Banco de Portugal.

Por outro lado, o montante médio por reembolso também diminuiu, recuando de 46.600 euros em 2019 para 42.844 euros em 2020.

Maioria foram reembolsos totais

A maioria optou por reembolsar a totalidade o empréstimo da habitação ao banco. Dos mais de 98 mil reembolsos antecipados ocorridos em 2020, mais de 66 mil foram reembolsos antecipados totais (67%), “aos quais correspondeu um montante reembolsado de 3,9 mil milhões de euros”, mostram os dados do Banco de Portugal.

Aqui, os reembolsos caíram tanto em número como em montante em relação a 2019, mas o montante médio subiu ligeiramente para de 57.595 euros em 2019 para 57 978 euros em 2020.

Já os quase 32 mil reembolsos antecipados parciais corresponderam a apenas 359 milhões de euros. Sobe em número, mas desce em montante e em reembolso médio, de acordo com o supervisor.

“Em média, cada reembolso parcial ocorrido em 2020 correspondeu a 11.262 euros, um valor inferior ao de 2019 (14.955 euros). Em 56,3% dos reembolsos antecipados parciais, o montante entregue não superou os 5.000 euros, e em 17,6% dos casos o montante reembolsado foi superior a 17.500 euros”, detalha o Banco de Portugal.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Apesar da pandemia, portugueses reembolsaram 4,2 mil milhões em crédito da casa antes do prazo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião