Nas notícias lá fora: Criptoativos, aeroportos espanhóis e Sanofi

  • ECO
  • 3 Agosto 2021

Novo chefe da "polícia do mercados" nos EUA quer vigiar criptoativos para proteger investidores. Governo espanhol vai investir 2,3 mil milhões para expandir aeroportos de Barcelona e Madrid.

Nos EUA, o novo chefe da “polícia do mercados” quer vigiar criptoativos para proteger investidores, enquanto a secretária norte-americana do Tesouro, Janet Yellen, pede ao Congresso para subir limite da dívida. Em Espanha, o Governo anunciou um investimento de 2,3 milhões de euros para expandir os aeroportos de Barcelona e Madrid. No tecido empresarial, a Sanofi vai comprar a americana Translate Bio por 3,2 mil milhões de dólares. Na banca, o grupo Goldman Sachs vai aumentar em 30% aos colaboradores.

Bloomberg

Novo chefe da “polícia do mercados” nos EUA quer vigiar criptoativos para proteger investidores

O presidente da Securities and Exchange Commission (SEC, semelhante à CMVM), Gary Gensler, tem conhecimento profundo sobre os criptoativos e a tecnologia de blockchain, mas tal não significa que seja um entusiasta deste novo segmento dos mercados financeiros. Em entrevista à Bloomberg, Gensler garante que é neutro em relação à tecnologia em si (até “intrigado”, confessa), mas não é neutro em relação à proteção dos investidores. “Se alguém quer especular, é uma escolha de cada um, mas temos o papel de como nação proteger os investidores contra a fraude”, afirma. O presidente da SEC pediu ao Congresso para passar uma nova legislação que dê autoridade ao regulador para vigiar as plataformas de negociação de criptoativos.

Leia a notícia completa no Bloomberg (acesso condicionado, conteúdo em inglês)

Cinco Días

Governo anunciou 2,3 mil milhões de investimento na expansão dos aeroportos de Barcelona e Madrid

O Governo espanhol anunciou 2,3 mil milhões de euros de investimento na expansão dos aeroportos de Madrid e Barcelona. Já há acordo para a ampliação do Aeroporto de Barcelona – El Prat que permite desbloquear o investimento de 1.700 milhões de euros proposto pela Aena, mas também fazer ligações ferroviárias de alta velocidade aos aeroportos de Reus (Tarragona) e Girona. Projeto ainda será alvo de uma consulta prévia por parte da Comissão Europeia devido ao impacte ambiental. O Governo anunciou ainda que vai investir 1,6 mil milhões de euros na expansão do Aeroporto de Madrid-Barajas.

Leia a notícia completa no Cinco Días (acesso livre, conteúdo em espanhol)

MarketWatch

Yellen pede ao Congresso para subir limite da dívida

A secretária norte-americana do Tesouro, Janet Yellen, pediu aos congressistas a agirem “assim que possam” para aumentar o limite da dívida, para que os EUA possam honrar os seus compromissos sem terem de cortar despesa. “Exorto respeitosamente o Congresso a proteger a plena confiança e a credibilidade dos EUA, agindo assim que possa”, escreveu Janet Yellen na sua carta dirigida ao Congresso, depois de o limite da dívida ter voltado a ser efetivo a partir de domingo, após dois anos de suspensão. Yellen anunciou o recurso a “medidas extraordinárias”, para suspender algumas despesas, mas este é apenas um alívio temporário.

Leia a notícia completa no MarketWatch (acesso livre, conteúdo em inglês)

Reuters

Sanofi vai comprar americana Translate Bio por 3,2 mil milhões

A Sanofi vai comprar a Translate Bio, empresa americana de biotecnologia, por 3,2 mil milhões de dólares (2,7 mil milhões de euros). A Sanofi disse que iria adquirir todas as ações em da Translate Bio por 38 dólares (32 euros) por ação. “A Translate Bio acrescenta uma plataforma tecnológica mRNA e fortes capacidades à nossa investigação, avançando ainda mais a nossa capacidade de explorar a promessa desta tecnologia de desenvolver tanto as melhores vacinas como a melhor terapêutica”, disse o chefe executivo da Sanofi, Paul Hudson. A Sanofi e a Translate Bio têm trabalhado em conjunto desde 2018 e o ano passado uniram esforços para desenvolver uma vacina Covid-19 baseada em mRNA.

Leia a notícia completa na Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês)

The Wall Street Journal

Goldman Sachs está a dar bónus de 30% aos colaboradores

O Goldman Sachs Group está a aumentar o salário base dos seus colaboradores juniores para 110 mil dólares (92 mil euros), um aumento de quase 30% em relação ao salário inicial anterior de 85 mil (72 mil euros). Os analistas do segundo ano deverão ganhar 125 mil dólares (105 mil euros), contra os 95 mil (80 mil euros). Os salários dos associados do primeiro ano irão saltar de 125 mil dólares para 150 mil dólares (126 mil euros). As alterações abrangem pouco mais de mil colaboradores em todo o mundo.

Leia a notícia completa no The Wall Street Journal (acesso condicionado, conteúdo em inglês)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Nas notícias lá fora: Criptoativos, aeroportos espanhóis e Sanofi

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião