Negociação salarial? Sim, mas não se esqueça de negociar também o título do cargo

Sabe qual o título que merece ou se vale a pena sequer negociá-lo? Se não conseguir um aumento salarial, deve pedir uma mudança no seu título? Aqui estão algumas ideias de como pode fazê-lo.

Ao aceitar um novo cargo noutra empresa ou ao ser promovido na mesma organização, a maioria das pessoas tende a concentrar-se, sobretudo, na negociação salarial. Agora, e cada vez mais, também no pacote de benefícios, que pode incluir cheques para ginásio, home office ou até, em alguns casos, cabazes de fruta ou creche para as crianças. Mas, há um elemento que, normalmente, passa um pouco despercebido, e deve ser também negociado: o título de emprego.

Não é tudo, mas é importante e, como tal, “também deve fazer parte da equação”, começa por dizer Margaret Neale, professora na Stanford Graduate School of Business e coautora do livro “Getting (More of) What You Want”, citada pela Harvard Business Review. “É um sinal, tanto para o mundo exterior, como para os seus colegas sobre o nível que ocupa dentro da organização.”

Além disso, o título também pode influenciar a felicidade dos próprios profissionais, bem como os seus compromissos diários. Dan Cable, professor na London Business School, considera que é “uma forma de auto-expressão no local de trabalho”. “É uma representação simbólica do que se faz e do valor que se traz”, acrescenta.

Mas nem sempre é fácil negociar o título atribuído, ou se encontra o momento ideal para fazê-lo. Sabe qual o título que merece ou se vale a pena sequer negociá-lo? Se não conseguir um aumento salarial, deve pedir uma mudança no seu título? Ou como deve reagir se o seu chefe lhe oferecer uma promoção no título, mas sem aumento salarial? Quer esteja de olho num novo trabalho ou numa mudança de título na sua empresa atual, estas são algumas ideias de como pode fazê-lo.

1. Reflita sobre o assunto antes de avançar

Negociar ou renegociar o título requer uma reflexão prévia. Antes de avançar, identifique o motivo pelo qual é importante para si conseguir determinado título e também os motivos pelos quais acha que o merece. Margaret Neale dá um exemplo em que uma discussão com o chefe seria, muito provavelmente, justificada: “Se já está na sua empresa há algum tempo, as suas responsabilidades aumentaram, mas o seu título é o mesmo, e ainda pagam-lhe um nível abaixo do que está atualmente a fazer”.

Ou, por exemplo, se estiver a pensar procurar novas oportunidades de trabalho, colocar-se numa posição melhor pode ajudar, uma vez que os potenciais empregadores poderão usar o seu título como um indicador da remuneração que recebe. “Numa altura em que as empresas são menos capazes de perguntar e as pessoas estão menos dispostas a partilhar o seu histórico de compensação, o seu título é uma forma de os futuros empregadores saberem com o que contar”, explica.

2. Faça o seu trabalho de casa

O segundo passo envolve a identificação de um título específico, que reflita com precisão os seus conhecimentos, responsabilidades e o estatuto dentro da organização. “Utilize recursos como o LinkedIn e Glassdoor para analisar os títulos de pares em diferentes empresas”, lê-se.

Além disso, sugere Dan Cable, pense em qual o título de emprego que o faria sentir mais valorizado e capacitado. Imagine que é um analista sénior numa grande consultoria, “mas é realmente bom é a fazer apresentações visuais que envolvem dados”. Nesse caso, pode pedir que seja acrescentado o título de, por exemplo, “client artist“, porque é essa “a área em que brilha”. Ao mesmo tempo, deve, contudo, estar atento ao que é realista dentro do contexto da sua empresa e indústria, alerta a Margaret Neale.

3. Estabeleça prioridades

Estabelecer prioridades deve ser o seguinte. Em comparação com o salário, os bónus, as responsabilidades profissionais, os dias de férias o o horário de trabalho, quando deve enfatizar o título desejado ao negociar o seu pacote total com o empregador?

“Aconselho vivamente contra negociações de uma única questão. O seu título deve fazer parte de uma discussão de várias questões. Por isso, pense em todos os recursos de que necessita para fazer melhor o seu trabalho”, aconselha a docente universitária. Quer esteja a mudar de emprego ou esteja na mesma organização há anos, pergunte a si próprio: Que benefícios serão mais importantes? “Se o título for um deles, prossiga”.

4. Oiça primeiro, fale depois

“Durante as suas entrevistas de trabalho, deve ser sensível ao que as pessoas lhe dizem sobre os desafios que a organização enfrenta”, diz Margaret Neale. E “se já está dentro, deve saber quais são”. Tente compreender o que realmente preocupa as lideranças e prepare o seu discurso com isso em conta. “Pense: Qual dos problemas do meu patrão resolveria a minha promoção?”

Precisará, igualmente, de defender que um novo título o ajudaria a ser mais eficiente e eficaz no seu trabalho, talvez dando-lhe mais credibilidade. O professor na London Business School considera que alguns títulos de emprego, particularmente os personalizados, “ajudam a construir uma relação com clientes e colegas”, o que pode ser “realmente valioso”.

Encontrar o melhor momento para abordar o assunto é, também, importante. Os docentes universitários dizem que esta conversa é uma “oportunidade para falar sobre o que pode trazer para o cargo”. “Pode dizer: ‘Vejo que o título atual do cargo é ‘analista’, o que é bastante genérico'”. Se, por outro lado, já está na organização e gostaria de ter um novo título, Cable recomenda que partilhe com o seu chefe estudos sobre o poder dos títulos de emprego na motivação dos trabalhadores. “Alguns patrões são rígidos, mas outros poderão ver a questão como oportuna e interessante”.

5. Seja grato

Quer a conversa tenha o desfecho esperado, quer não, seja grato. Agradeça se o líder concordar com o título pedido e agradeça também caso não obtenha esse título. Lembra-se que a negociação apenas começou. “Aproveite para o informar o seu chefe de que, embora esteja agradecido, não é suficiente, e estará de volta”, sugere Margaret Neale.

Se, no entanto, o líder não mostrar qualquer abertura, a professora universitária diz que o profissional deve pedir mais pormenores sobre os critérios pelos quais está a ser avaliado. No fundo, para perceber o que seria, realmente, preciso para avançar e conseguir o título de emprego desejado.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Negociação salarial? Sim, mas não se esqueça de negociar também o título do cargo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião