Receitas da Altice Portugal crescem mais de 10% com o desconfinamento

EBITDA cresce, receitas também. Investimento acelera com a fibra ótica para dar resposta às necessidades dos clientes, numa altura em que o leilão do 5G se atrasa.

A Altice Portugal alcançou receitas de 550,7 milhões de euros no segundo trimestre do ano, um crescimento de 10,3% explicado por um “contexto económico que parcialmente retomou a normalidade”. No semestre, faturou quase 1.100 milhões de euros, tendo o EBITDA apresentado um crescimento de 1,4%.

“A performance das receitas no segundo trimestre e primeiro semestre “continua sustentada e na rota de crescimento, totalizando 550,7 e 1.099,8 milhões, respetivamente, o que traduz um crescimento face ao período homólogo de 10,3% e de 7,6%“, diz a Altice, apontando para “o gradual levantamento de medidas de confinamento relacionadas com a pandemia”.

A operadora liderada por Alexandre Fonseca diz, contudo, que “o contexto social e económico nacional continua a ressentir-se dos efeitos pandémicos, apesar de se assistir já a alguma recuperação”, especialmente no segundo trimestre. No semestre, o aumento registado nas receitas compara com um período marcado pela “inexistência de receita de conteúdos premium desportivos”, “menor volume de vendas de equipamentos” e “quebra da receita de roaming“.

EBITDA cresce, investimento também

Perante a evolução das receitas, o “EBITDA voltou a revelar crescimento no segundo trimestre de 2021, com +5,9% face ao segundo trimestre de 2020 e com um aumento de 4,3% face ao trimestre anterior“. Nos primeiros seis meses de 2021, a Altice “registou um incremento de 1,4% face ao período homólogo do ano anterior”.

Ao mesmo tempo, a Altice Portugal aumento o investimento. A operadora revela que “o investimento ascendeu a 117,1 milhões de euros no segundo trimestre e a 228,4 milhões de euros no primeiro semestre“, o que se traduz em aumentos de 2,8% e 4,7% face a período homólogo, respetivamente. A explicação está na expansão da cobertura de fibra ótica.

“A Altice Portugal adicionou mais 111 mil casas no segundo trimestre de 2021 e mais 208 mil nos primeiros seis meses do ano, tendo, no final de junho de 2021, atingido 5,8 milhões de casas passadas em Portugal”, diz a empresa.

Críticas ao leilão do 5G

A Altice Portugal sublinha os investimentos realizados, mas também a “manutenção de elevados padrões de qualidade de serviço” num período em que foi grande a procura por serviços de telecomunicações em Portugal, por causa da pandemia. A operadora diz que “manteve-se fiel ao compromisso de levar aos seus clientes particulares e empresariais uma conectividade fiável e soluções integradas”.

E diz que essa resposta foi dada, não obstante a “racionalização da estrutura orgânica e de custos operacionais”. Isto numa altura em que está a decorrer um processo de despedimento coletivo na empresa.

Associa tanto a resposta dada num contexto pandémico, como a reestruturação em curso, ao “atraso no leilão do 5G e a contínua deterioração do ambiente regulatório, que se antecipa continuar a destruir valor”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Receitas da Altice Portugal crescem mais de 10% com o desconfinamento

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião