Greenvolt compra empresa polaca de armazenamento de energia por 3 milhões

Além do armazenamento e da ligação à rede, a Greenvolt prevê vir a utilizar a capacidade da KSME para ligar à rede elétrica polaca projetos de grande escala, nomeadamente solares, eólicos e híbridos.

A Greenvolt anunciou esta quinta-feira a aquisição da empresa polaca de armazenamento de energia KSME, que detém um portefólio de 5,56 GW. Desta capacidade, 1,4 GW já têm assegurada a ligação em alta tensão à PSE, a operadora de rede polaca. O negócio foi realizado em parceria com o NEO Energy Group.

O valor da transação ascendeu cerca de 3 milhões de euros, representando um custo de 2.100 euros/MW para ligação à rede já assegurada.

Em comunicado, a Greenvolt informou que a operação foi concretizada através da subsidiária polaca da Greenvolt, o V-Ridium Power Group, passando assim a deter 51% na KSME.

Além do armazenamento e da ligação à rede, a Greenvolt prevê vir a utilizar a capacidade da KSME para ligar à rede elétrica polaca projetos de grande escala, nomeadamente solares, eólicos e híbridos.

“Esta aquisição é um passo muito significativo para Greenvolt no mercado polaco, tornando-a num importante ator no mercado de armazenamento de energia. A diversificação de tecnologias é um dos principais objetivos da empresa, sendo um elemento importante no sentido de fornecer soluções robustas e contribuir para a estabilidade da rede elétrica polaca”, adianta João Manso Neto, CEO da Greenvolt.

Esta quinta-feira, e um dia depois de saber que vai entrar no índice de referência nacional, a 20 de setembro, a GreenVolt está a disparar em bolsa, tocando máximos históricos.

A elétrica liderada por Manso Neto soube que vai integrar o PSI-20 dentro de dias e hoje já está a brilhar. As ações da GreenVolt estão a valorizar mais de 4% em bolsa, tocando máximos históricos.

Estreou-se na bolsa nacional a 15 de julho e, dois meses depois, a 20 de setembro, vai passar a fazer parte do PSI-20, segundo a informação divulgada ontem pelo operador da bolsa de Lisboa. “É com satisfação que verificamos que a Euronext Lisboa decidiu passar a integrar a GreenVolt no principal índice nacional”, afirmou Manso Neto, numa declaração enviada aos jornalistas.

Esta notícia foi o suficiente para fazer a empresa de energia renováveis brilhar em bolsa. Os títulos estão a valorizar 3,89% para 5,87 euros, mas já estiveram a subir mais de 5% esta sessão. É o valor mais alto desde que a GreenVolt se estreou na bolsa de Lisboa.

As ações fecharam a valorizar 1,8% esta quarta-feira para os 5,65 euros. A empresa vale agora cerca de 720 milhões de euros.

Para subir ao PSI-20 é necessário a uma cotada cumprir determinados requisitos como o número de ações e o capital disperso em bolsa e a velocidade de negociação, sendo que havia dúvidas sobre se a GreenVolt conseguiria cumprir esta última regra.

“A GreenVolt é uma empresa líder na produção de energia renovável a partir de biomassa e é já um dos maiores promotores europeus de projetos de energia eólica e solar fotovoltaica”, explicou Manso Neto. Com quase 59% das ações, a Altri é o maior acionista, seguindo-se a V-Ridium Europa, com 9,23%. A gestora holandesa Nationale-Nederlanden, o Santander Asset Management e o Bestinver Gestión detêm participações superiores a 2%.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Greenvolt compra empresa polaca de armazenamento de energia por 3 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião